Publicidade

Acesso rápido

Postado por Guilherme Batista, em 30/01/2009

2 comentários:
4 dias sem postar comparecer aqui, e você me vem com uma série de rapidinhas, guilherme?

safado!

Rápidas

Nenhum comentário:
O Obama REALMENTE tá cumprindo com aquele papo de "Yes, we can [change]!" não?
Depois de igualar os salários entre os sexos ele vai fazer o que? Forçar a paz no horiente médio?




Sabe quando você é terrivelmente segurado em uma coisa e ameaçam não pagar seu salário? Então... ¬¬'




Fato: nunca vá ao mercado com fome. Fui uma vez semana passada e praticamente comprei o desnecessário, enquanto que o realmente seria útil e saudável foi por ralo. Ou ficou nas gondolas. Da última vez, fui já meio alimentado, e o índice de coisas não tão saudáveis assim ficou bem mais restrito.




O que, por deus, leva uma empresa a aceitar um projeto SEM entrada, SEM garantias de pagamento e "pagamento por fases do projeto entregues"?

Nego tem uma estranha obsessão masoquista por tomar prejuízo, só pode.

Top 5 músicas para você ouvir na fossa

Postado por Guilherme Batista, em 26/01/2009

Nenhum comentário:
A exemplo do Júnior, eu resolvi fazer um top cinco dessas músicas mesmo sem ter sido chamado


Que se foda-se, não to aqui pra dar explicações mesmo

Johnny Cash - A Boy named Sue
Aqui
Porque você deve ouvir:
Primeiro, porque Johnny Cash é artista de saco roxo, daqueles que você tem que ter na lista de qualquer jeito. Segundo, porque se você acha que a sua vida é ruim, imagina a de um garoto chamado "Sue" - um nome tipicamente feminino nos EUA. O garoto foi bunda mole e ficou chorando? NÃO, SEU FROUXO! Ele simplesmente foi atrás do pai para assassinar o maldito por tal afronta à honra.
Coisa que um arrastador de traseiro como você nunca iria fazer. Ouve a música e entenda a história, bichinha fresca!

Rammstein - Amerika
Aqui, e se o blip.fm ficar de putaria, mande ele pastar e vá pro vocêtubo
Porque você deve ouvir:
Rammstein é o típico artista de pré-adolescente pseudo-revoltado que, por incrível que pareça, consegue fazer uma meia dúzia de músicas com uma revolta justificada sobre determinado tema. A voz grutural do er... hm... vocalista é do tipo que te faz tremer por dentro. Se essa porra fosse militar, nego ia tremer nas base só de ouvir o cara gritar "ATIRA NESSA PORRA, CARALHO!" em alemão.
Ok, ouvir QUALQUER coisa em alemão já dá medo, porque você nunca entende o que o puto neo-nazi disse, mas whatever. Ouça e sinta mais raiva do Bush!

System of a Down - Cigaro
CLICA AQUI PORRA!
Porque ouvir isso:
System of a Down é o mesmo exemplo do Rammstein, mas pelo menos eu consigo entender as letras com mais facilidades, sem ter que me lembrar que eu tive um chefe neo-nazi. Prefiro falar a língua do capitalismo e tals. Cigaro vai completar a fagulha de revolta que começou a nascer nesse seu bunda-molismo, fazendo de você alguém que vai ter vontade de pegar o motivo da sua depressão e comer no café da manhã.

Ou te fazer se sentir o bostinha prepotente que você realmente é, você quem escolhe.


Matanza - pé na porta, soco na cara
Aqui
Porque você deve ouvir:
Porque isso vai extripar por completo esse seu complexo de bunda mole, e vai dar uma ativada na sua vontade de dar uns socos, pra extravar a tristeza. Que foi transformada em raiva a uma hora dessas.
Provavelmente você vai ter vontade de pegar aquele poodle toy da sua namorada e usar ele pra limpar o monitor do seu laptop a uma hora dessas. Enjoy that feeling ;)

Ou seja, na depressão, parta pra porrada. Ou deixe de bundamolismo, vire homem e vá comer umas putas depois de tomar meia garrafa de whisky paraguaio.

Wi-fi na faixa

Postado por Guilherme Batista, em 25/01/2009

Nenhum comentário:
Quer usar Wi-fi na faixa, mas sua ética o impede de abrir o laptop / netbook ou ligar o wi-fi no meio do público e pegar o primeiro sinal aberto por ingenuidade do dono do sinal?

Isso não é mais problema para o seu espírito ético! Basta você pegar seu gadget favorito, ir para a USP e usufruir do sinal de wi-fi liberado por lá pro público durante os próximos 12 meses.


Via

Celular bloqueado :(

Postado por Guilherme Batista, em 23/01/2009

Nenhum comentário:
Recentemente, tive um pequeno problema de bloqueio do meu celular. Não, não foi por falta de pagamento, não dessa vez ;). Foi algo mais envolvendo um roubo de um celular antigo (aqui), o cancelamento do funcionamento desse celular, um erro de uma operadora e o bloqueio da linha errada, ou seja, a que eu estava usando atualmente

De início, fiquei PUTO PRA CARALHO, mas aí lembrei que atendente de help desk é humano e tem direito de errar. Então, eu, pacientemente, me dirigi à loja da Claro do Shop. Eldorado. A mesma que é a campeã de reclamações de atendimento (um amigo meu chama aquela loja de "ANTAndimento") da Claro. Sim, fui nessa, com a esperança de ter meu celular desbloqueado para falar. Pelo menos de um jeito legal, pacífico e completamente educado (antes de partir pras cabeças e entrar naquela loja com uma motosserra).

Pois bem, no mesmo dia, na mesma hora e no mesmo local fiquei sabendo que o celular estava com a linha bloqueada e blablabla. Já meio irritado de ficar mais de 50 min em pé na frente do balcão de pré-atendimento, mandei desbloquear a porra na hora. Fui informado que o celular seria desbloqueado de 15min a até 4 horas (QUE EMOCIONANTE!). Suspirei, resignado. Na hora não estava afim de briga, então deixei quieto.

No dia seguinte, como seria óbvio, o celular continuava bloqueado. Liguei na operadora umas 20 vezes diferentes, e cada hora era uma desculpa nova. Chegou um momento em que eu ligava, falava pro atendente qual era o problema e dizia TODAS as respostas que eu havia recebido - e que só estava ligando pra ouvir uma resposta nova que aliciasse meu ego bobo e frágil, sedento de masoquismo.

Iria eu numa loja da claro no mesmo dia, mas um pequeno problema chamado "hora extra" me impediu (porra, cheguei em casa 1:30 a.m., não ia ser ligando pra esses putos que ia adiantar. Fui dormir Capotei no sofá da sala mesmo e deixei passar o dia seguinte.

No fim da noite de hoje, baixei na loja da claro, com aquela cara que só a namorada conheçe. É aquela cara de quem tá realmente afim de sangue (como eu falei no twitter, já que pelo jeito pacífico e calmo não deu certo, eu iria partir pras cabeças). Peguei a senha, sentei e esperei pacientemente. Acho que cada minuto ali só fazia fomentar mais a minha raiva, e o celular insistir em não voltar a fazer ligações só ajudava.

Bem, fui chamado. De início, fui educado até com o atendente, mas na hora que o pobre disse "O sr. vai ter que esperar mais 4 horas, sr. Guilherme", eu literalmente detonei:

-esperar quatro horas é ser infeliz. Ser infeliz é traição, e traição é punida com a morte. Você está infeliz, cidadão? Esperar? Quatro horas? MANO, CHAMA TEU GERENTE AQUI AGORA VÉI, QUE EU JÁ ESPEREI 5 DIAS COM ESSA MERDA BLOQUEADA POR CAGADA DE VOCÊS
(sim, desse jeito)
-:O ma... ma... ma...
-E CHAMA AGORA, OU EU VOLTO AQUI AMANHÃ DEPOIS DE IR NO PROCON E DENUNCIAR TEU NOME NA OUVIDORIA DA CLARO.

Quer ser atendido logo? Apela pra ouvidoria.

-Pois não sr. Gu...
-POIS NÂO O CARALHO, EU QUERO ESSE CELULAR DESBLOQUEADO, CATZO
-Sr, acalme-s...

Sabe, nessas horas é útil ser um chefe. Chefe de sessão, de equipe, de família, índio, qualquer merda. Você aprende algumas coisas, como o famoso olhar de derreter butijão de gás. É só ter a emoção certa.
Acho que nessa hora eu soltei um olhar do tipo "Lembra-se de 300? Você vai ter sina pior que os persas...". O cara parou. E foram averiguar exatamente o que tinha acontecido (comigo olhando no monitor cada passo do tal gerente.) com a linha.

Descobriram que desbloquearam, mas o problema foi que o chip se recusava a ler. Tentaram me fazer vender um chip novo:

-Sr, seu chip se recusa a ler nossos dados, vamos ter que lhe vender um chip no...
-VENDER?
-Sim sr, vender. Um chip novo custa R$15,00
-VENDER? **olha pra trás**
-...
-Você vai me DAR A PORRA DO CHIP pq a CAGADA FOI DE VOCÊS E TÁ NOS DIREITOS DO CONSUMIDOR QUE QUANDO A MERDA É DA PRESTADORA DE SERVIÇO, A PRESTADORA QUEM CONSERTA!
-Mas sr, um chip de graça é insanidade!
-Insanidade?
-Insanidade.. nós temos que lhe vender.
-Insanidade?
-...
*olha pra trás*
-Isto é loucura
-Ahn... Tenho certeza que você não quis dizer "isto é loucur..."
-Isto é loucura!
-Louc... ISTO É ESPAAAAAAAAAAARTAAAAAAAAAA **chuta**

Depois de tal argumento convincente, me deram o chip e desbloquearam a linha. Em menos de cinco minutos.



Ou seja, desde tempos imemoriais, no Brasil, a coisa tem que ser resolvida na ogrice

Razões para você não trabalhar com APIs (ou trabalhar com elas)

Postado por Guilherme Batista, em 20/01/2009

Nenhum comentário:
Sacumé gente, eu tenho o costume o colocar meu blog na categoria "tecnologia", por falta de categorização "pessoal" mesmo x)
Então melhor falar de tecnologia de vez em quando, pra fazer jus à visitação dos geeks gordos e esquisitóides que vem aqui geeks e programadores iniciantes.


APIs são excelentes ferramentas - elas simplesmente pegam toooodo aquele trabalho GIGANTE que você, nerd programador*, teria se fosse fazer um trabalho do zero e não tivesse a menor idéia de como fazer aquele maldito map trace ou aquele page flip filho da puta que se recusa a aceitar todas as suas funções direito.

APIs facilitam até pra quem não é programador, mas tem criatividade e quer enfiar um plus no projeto. Vide aquele códigozinho de colocar o google maps no site, ou coisa que o valha. Entretanto, APIs caíram naquele maldito lugar comum. Sim, o mesmo lugar comum que ser nerds, emos, metaleiros**, aqueles óculos de aro preto plástico que lhe deixa com uma cara de pseudo-intelectual, o iPhone, blogs que vendem posts, tua mãe... enfins, APIs estão no lugar comum que é só todo mundo chegar, meter a mão e pegar.

Igualzinho a gente faz com a sua mãe, como eu disse :D


Se por um lado APIs são populares, por outro é ruim, muito ruim. Ruim do nível de todo cliente / chefe / gerente de projetos wannabe*** quer ter uma dessas no projeto. Daí começa o inferno, porque geralmente essa espécie de gente não se toca de um problema pequeno, beeem pequeno: o código.

API tem uma coisa chamada "código". É tipo o DNA dela, tá ligado? Imagine o programador como um geneticista e o código como o DNA. Se você é um genetista. saberá o que cada par de hélices do genoma ali presente faz. Entretanto, se você não é um geneticista, não vai entender porra nenhuma do que aquelas hélices de fitas estarão fazendo, certo?

Agora, imagine que um geneticista pirou na batatinha da maionese e montou um genoma diferente do padrão. Uma alteração aqui, outra acolá e PRONTO, um homem com um pau de 45cm. Uma maravilha, né? As mulheres vão ADORAR! Pense no merchan disso: "Vendemos os maiores paus".

O mulherio ia cair matando.

Agora, imagine que o geneticista maluquinho ali (maluco E rico a uma altura dessas) resolveu deixar a sequencia do seu genoma aberto, disponível para qualquer um que quiser passar no seu "home-lab" e comprar por um preço módico (vai lá, uns 30 reais). Agora imagine que você é um geneticista e resolveu estudar esse código, va lá, para fazer seu filho nascer pausudo - pra compensar o principal defeito do pai. Esse geneticista vai ter que passar algumas noites acordado estudando o cógido do primeiro geneticista.

Esse primeiro geneticista fez uma API, o outro comprou uma. Simples de entender, certo?


Com programador é a mesma coisa. Você, chefe / administrador(ou cliente, o que costuma ser pior...) pede AQUELA API do pau gigante no seu projeto. Até aí, tudo bem: qualquer um que se defina programador sabe perfeitamente como trabalhar superficialmente com o código alheio.

Meu amigo, o problema mesmo pega quando você, caro cliente, resolve pedir modificações NAQUELA API. No nosso exemplo, você quer que o pau vire uma buceta com três bolas pra fora (!!!).

E um prazo de três semanas pra resolver o projeto. Sentiu o drama, né?


Programadores são perfeitamente capazes de resolver qualquer problema que lhes é dado. Desde que tenham tempo suficiente, podem até mesmo reinventar o mundo. O problema pega quando eles tem que entender a lógica de OUTRO programador. A lógica de um programador é algo muito pessoal, é mais íntima dele do que sua namorada; quando se é escrito um script qualquer em qualquer linguagem, é praticamente a intimidade do programador que está ali.

Então vem um cliente fdp ou um gerente de projetos wannabe e.. pede pra alterar essa intimidade. Como no exemplo da genética, TODO o código original está atrelado a diversas enzimas que o geneticista original não documentou, ou simplesmente esqueceu como funcionava. E aí o segundo geneticista, aquele nosso pobre coitado que vai mexer no código DNA da coisa, se fode pra descobrir como aquilo funciona.

E no plano de fundo, o tempo do projeto vai passando, passando... passando... passando, ouvindo o relógio fazer "tic-tac". Tiiiiiiic-Taaaaaaaaaaaaaaaaac

APIs são boas? Sim, são excelentes ferramentas, DESDE QUE você pegue e saia usando. Não cometa o pecado mais comum à todo chefe de projetos: achar que é só meter a mão e sair alterando. E se for, dê tempo de uns três meses pro programador se inteirar em todas as funções É como trepar: você não pode simplesmente arriar a calcinha da menina e sair enfiando o mr. stone dentro dela, tem que rolar uns beijinhos pelo menos pra deixar a menina excitada

HAHAHHA

Postado por Guilherme Batista, em 19/01/2009

Um comentário:
EU VOU CONTINUAR ENROLANDO VOCÊS!!!!




mals aê povo, to cheio de coisa pra fazer aqui, tamo aí na correria, certo? to com uns três textos aqui pra botar no ar, maaaas, como eles estão no laptop (já disse que eu não confio na cloud computing?), E o laptop está sem internet (obrigado pela falta de consideração comigo, Claro), eu to sem como postar :(

Assim que eu pegar um hotspot eu posto alguma coisa

Postado por Guilherme Batista, em 18/01/2009

Nenhum comentário:
estou enrolando vocês...

...enquanto eu monto um texto para vocês :D

Wi fi no ônibus

Postado por Guilherme Batista, em 15/01/2009

Um comentário:
Por esses dias eu li que a Vex, a boa e velha Vex, aquela que pede cadastro dos usuários e cobra mensalmente por uma internet que vai se tornar um tanto obsoleta (prazer, 3G), essa vez, meus senhores, oferece internet Wi fi num trajeto que vai de São Paulo para alguma cidade do Brasil*.


"E daí, ô meu?", me pergunta o típico paulistano que não perde esse bendito costume de usar esse "ô meu" numa conversa**. Daí, meu caro portador de um notebook, que isso significa Mobilidade para você. Ou não!

Explico: o lance da Vex aí é pegar um sinal 3G, jogar ele num roteador e botar o roteador dentro do busão de viagem. Simples pracarai, né?

Se é simples, deveria ser barato, mas eu arrisco que não é barato (apesar de ainda não ter testado....). O sinal 3G seria recebido por um modem, e do modem jogado num roteador. É a uma boa solução até o momento.

A outra é usar um roteador 3G para conexão. E nenhum dos casos a coisa é barata.

Adivinha só pra quem vai a conta no final? PRO CONTRIBUINTE ;)


Enfins, acho que, se você tem um laptop e quer muito uma conexão em qualquer lugar, esqueça o wi-fi, use o 3G. Wifi, para mim, é quando o 3G fica indisponível. E o problema dessa solução da Vex é que, se a net é indiretamente 3G E o 3G ficou fora do ar, pra que vai servir o Wi-Fi?


*saiu de Sampa e ainda está no Brasi, para mim, é "alguma cidade", sempre.
**conversei hoje com uma gaúcha, fazia tempo que não falava com uma - acho que desde que parei de conversar com a ex. Percebi a diferença de sotaques e fiquei vermelho tipo #ff0000 mesmo. Sorte que era pelo telefone ;)

A razões do porque eu prefiro viver sozinho

Um comentário:
Uma coisa que eu adoro é a aporrinhação alheia. E para ser aporrinhado, basta você... ser sociável.


Não digo que você deve ser anti-social, ou virar um monge e viver longe de tudo e todos. Nada disso. O que eu quero dizer é que para ser aporrinhado, basta ter pessoas por perto


Ou não, caso você viva conectado e tenha celular.

Motivos para ficar sozinhbo

Você é interrompido
É fato, a cada dez minutos que eu estou ocupado, ou concentrado, eu sou interrompido com alguém falando diretamente comigo. Em casa isso já é ruim - eu vivo criando imagens, desenhando, filosofando.. enfins, nunca fico parado. E SEMPRE tem um que aparece e...
-VAI VARRER A CASA
-Me dá cinco min que eu já vou

... Como eu dizia, não posso ter apenas um minuto para mim que sou interrompido na hora, cortando todalmente meu fluxo de raciocínio que...
-Guilherme, veeem cá
-(o porre) Já vou, deixa eu terminar aqui
... Entendeu? No trampo é dez vezes pior, pelo cargo que ocupo.

Mimimi alheio
Você está cercado de problemas, com pressão vindo de todos os lados. Tudo bem, vivemos cercados de pressão mesmo, é normal. Mas aí chega justamente o elo mais fraco e começa com o mimimi. Se fosse uma vez ou outra, beleza, mas o mimimi se extende até o ponto de a pessoa simplesmente esquecer a situação filha da p** que você se encontra para reclamar até do presente de natal que você comprou alguns minutos antes de ir encontrar ela na rodoviária, e que o raio do comerciante não tinha embalagem pra presente.

Daí pra pior, vai vendo.

Mimimi é um saco, e reclamar do mimimi alheio é mais saco ainda. E você pensa: "eu deveria ter guardado essa grana a ter que ler isso"

Ligações inconvenientes
Seu celular toca de tempos em tempos, e é apenas para a pessoa ouvir a sua voz. Beleza, tudo bem, isso vez ou outra é legal, mas... caralho, quando você fica apenas alguns dias sem ver a pessoa, isso se torna chato. Se torna irritante. Se torna algo para fazer você odiar aquele número. Ou pior, odiar a pessoa, que é infantil demais para se tocar que está enchendo o saco.

Você sacaram a situação, não preciso falar muito :P

Essas são apenas as três principais razões pelas quais eu prefiro viver sozinho. Veja, tendo amigos, é só vê-los quando se dá vontade; marca-se de sair, toma alguma cerveja e pronto, convívio. O problema mesmo é quando você tem algum problema de alguma espécie e nego não te deixa em paz pra resolver o raio do problema. Você, como homem, vê o problema como uma caça e seu instinto te faz querer silêncio (nas devidas proporções, claro) para resolver o problema, e a última coisa que se consegue é isso.


Pro inferno, vou voltar a dar patadas, que ser educadinho só tá me dando dor de cabeça.

Fotos das BBB9 peladas

Um comentário:
O título não tem nada a ver com o post. Eu apenas quero avalhancar as visitas do site pelo truque mais sórdido possível depois do "me linka que eu te linko... NOT A LOT!": O uso excessivo das keywords mais procuradas no google.

Principalmente nessa época de BBB. Acho a blogosfera engraçada. Tirando uma meia dúzia de blogs mais especializados, quase todos os blogs que usualmente visito falam apenas de uma coisa: Big Brother Brasil X

Eu podia jurar que blogueiros deveriam falar dos mais variados assuntos, e não de uma coisa só. Whatever, esse é mais um motivo para eu simplesmente não gostar de big brother.

Uma pena que isso vire hype :(

Motivos para você não ter um celular com 16 gb*

Postado por Guilherme Batista, em 14/01/2009

Nenhum comentário:
*eu faltei nas aulas de redação em que ensinavam a fazer títulos curots, simples e rápidos de ler.

Outro dia estava eu conversando com a namorada sobre essa convergência digital - em especial, a fartura de gigabytes que os cartões de memória e os celulares tem oferecido atualmente.

Enquanto ela argumentava que o principal motivo para você ter um celular de 4 ou 32 gb é que vc não vai precisar se preocupar em ficar deletando coisas.


Na hora aceitei o argumento e fiquei quieto, ela tinha razão nisso. É ótimo não ter que se preocupar em deletar coisas. Antigamente, tínhamos apenas 8 megas de espaço - era quase agonizante ter que se preocupar em deletar coisas.

Mas hoje em dia não precisamos mais disso. Temos 2 gigas no mínimo (considerando que você tem um celular decente que aceite isso), é quase a mesma quantidade que um iPod nano tinha até outro dia - e ainda faz ligações e tem bluetooth! Só que ainda assim, me parece exagero ter TANTOS gigas de espaço livre assim. Por que? Justamente porque você não vai ter que se preocupar em deletar coisas!

Ok, isso não é tão ruim. Mas, digamos/suponhamos/imaginemos que, você, todo belo e pimpão, tá lá, com seu nokia n99 de 60gbs de dados. Você entope o bicho de música e vai ouvir, va lá, suas 15 favoritas. Vai achar 15 músicas espeficamente no meio de 60 gigas. Até o mecanismo de busca indexar, você já desistiu e resolveu cantarolar as músicas.

Ah, dá pra levar documentos tipo ".doc"? Claro, como não? O problema é que a)você dificilmente vai editar um ".doc" enquanto dirige, ou está no trem indo pra casa / serviço e b)mesmo juntando com músicas, dificilmente dará mais do que 3gb.

Mas nós gostamos de assistir vídeos enquanto andamos de trem ou de colocar esses vídeos no painel do carro! Bem, é bom usar esses itens, mas diabos, a menos que você seja um super produtor de vídeos, dificilmente vai ter tanto vídeo assim para assistir em tempo livre. E o pior, dificlmente terá tempo de assistir metade deles, mesmo estando estacionado no trânsito.

E mesmo que você junte tudo, raramente terá tempo de aproveitar tudo que enfiou dentro do celular...


Sinceramente? Acho um disperdício. Mesmo com um n95 ou qualquer outro da vida, acho um disperdício de espaço. 8 gb tão mais do que suficientes, mesmo contando instalação de apps, java ou sei lá que porra você use. Eu dificilmente irei comprar um celular com mais de 8 gb - acho que só pegarei um assim no dia que não existir oficialmente celulares com menos que isso.

Afinal de contas, pra carregar trocentos dados, eu já tenho um notebook E backup :P

Tirando a carta, parte 1

Postado por Guilherme Batista, em 09/01/2009

Nenhum comentário:
Por incrível que pareça, eu posso ser foda, mas não tenho CHN. Como a maioria dos meus amigos sabem, eu simplesmente me recusava a tirar a CHN pelo único motivo de eu não depender dos pais, logo, ser um paupérrimo independente.

Graças à isso, acaba que eu vivo sem dinheiro. Meu salário cai na conta e não dura nem... uma semana :D

Whatever, era pra eu ter uma CHN desde os 18, mas como eu fui muito teimoso e fiz questão de não aceitar ajuda parental, até por uma questão de princípios, me fodi e consegui o feito de chegar aos 20 sem uma CHN. Havia um segundo agravante bem mais grave: tempo. Embu não tem auto escola com um CFC que funcionasse aos fins de semana, já que a maldita cidade é interiorana (apesar de estar localizada na Grande São Paulo...) e ninguém lá gosta de trampar aos fins de semana, certo?

Pois bem. Dado isso, resolvi ir na auto escola em São Paulo (junto com a namorada. Álias, quase tudo que eu faço é feito com ela, o que me faz pensar que minha vida social se resume à ela. Caralho:|) pra resolver logo essa questão (e poder dirigir um carro legalmente. Até dava pra pegar um carro sem carta, mas isso geraria aporrinhação de todo mundo. Quando eu disse que iria pegar um carro pra treinar antes e não ter dores de cabeça na auto escola, faltou nego me crucificar (cruSSificar?) por tal afronta à lei brasileira. E eu nem ia dar a volta no quarteirão que moro com ele sem a maldita carta). Resolvida a questao da auto escola que me permitesse fazer aulas aos fins de semana, peguei meus documentos e minha bunda gorda, grande e suada nessa cidade calorenta infernal e fui pro Detran realizar o pré cadastro.



Ah, que aventura maravilhosa foi ter ido lá. PRa começo, me informar qual onibus passava ali perto, já que o site da SpTrans insistia em me dizer que eu tinha que descer a Brigadeiro, entrar na Ibirapuera e IR ANDANDO QUASE 300 METROS NUM SOL INFERNAL. Pra quem vive sedentário, isso seria uma afronta. E aquele bando de viadinhos que adoram correr pelo Ibirapuera se RECUSAVAM a olhar pra mim quando eu ia lhes perguntar algo.

Eu tava com uma camisa Luigi Bertolli, uma mochila Wilson, uma calça M.Officer e um tenis RBK, todos em excelente estado de conservação, de barba feita e com óculos. Nem de longe eu iria parecer um assaltante ou algum maluco que deveria ser evitado, mas ainda assim resolveram ignorar.

E já que foram "ignorantes" comigo, eu fui ignorante com eles. Tive que pegar um pelo braço e perguntar que maldito ônibus eu deveria tomar pra chegar na porra do Detran. (acreditem, eu REALMENTE falei assim com ele. Eu xingo até a minha mãe na frente dela quando fico nervoso, não vai ser um estranho que eu vou tratar hipocritamente bem).

De posse da informação, peguei o onibus e, ao perguntar gentilmente pro cobrador qual era o ponto do referido lugar, não obtive resposta. Tentei de novo, menos gentilmente dessa vez. Nada. Dei um leve soco naquela caixa que ele guarda o dinheiro, e o barulho de moedas fez ele notar que eu exisitia. Perguntei com bem menos gentileza e dessa vez eu fui atendido.

As pessoas precisam aprender a não ignorar um cara vestindo uma Bertolli com uma Wilson com 10 kgs. Gente assim costuma ser maluca o bastante pra pegar um cara pelo braço e fazer uma pergunta qualquer :). Ou dar uns catiripapos em algum objeto randomico até ser devidamente ouvido. Veja bem, eu tentei ser educado nas duas primeiras abordagens, e como não obtive resultados, parti pra ignorância e AÍ SIM a coisa funcionou.

Chegando ao bendito Detran, com os bagos caindo de tanto calor, fui perguntar aonde era o raio do andar de inscrição. Recebi uma cara mal humorada me apontando uma escada. Olhei de volta pro cara e perguntei: "é ali?"
Ok, foi uma pergunta estúpida.

O Detran parece uma escola embuense abandonada. Aquele lugar me trouxe boas lembranças da infância, em que puxámos os sutiãns das meninas até eles estourarem só pra elas andarem com os peitos trêfegos e soltos. E depois bolinarmos eles (6). Na hora eu senti uma vontade recaída de fazer isso novamente, mas fui impedido pela visão do inferno que estancava do meu lado. Uma senhora, dessas gordas gigantes com peitos maiores ainda que só não caem por um dos maiores mistérios da humanidade, estava ali. E eu não estava afim de bolinar uma criatura dessas, perigava de o peito dela vazar da minha mão.

Whatever, cheguei no bendito lugar e fui devidamente informado que deveria dar uma volta desnecessário. Tipo assim:
-Ei xará, é aqui o pré-cadastro?
-Sim, mas você vai ter que dar a volta, ver se tem fila e se não tiver, vem pra cá direto.
-Mas não tem fila aqui, posso passar direto?
-DÊ A PORRA DA VOLTA E VEM AQUI, CARALHO :@

Um outro exemplo de bondade e respeito foi quando um dos candidatos foi perguntar o que ele deveria colocar no campo "Nome do canditado a requerir a CHN". Eu ignorei pensando que, se fosse gente assim que consegue uma CHN, tava explicado a quantidade absurda de acidentes de trânsito que acontecem. Na hora que o tal me fez a pergunta, passou um delegado e disse, no tom de voz mais calmo que o Cap. Nascimento conseguiria:
-É PRA BOTAR A PORRA DO SEU NOME, SEU BABACA BOÇAL DE MERDA. TU NÃO SABE O QUE É UM NOME, QUER TIRAR A CHN POR QUE?

O melhor foi ouvir esse delegado reclamando
-PUTA QUE PARIU, ESSE PESSOAL ANALFABETO E BURRO NÃO CONSEGUE NEM ESCREVER O NOME NUMA LINHA PONTILHADA, QUE DIRÁ DIRIGIR UM CARRO DE MANEIRA DECENTE!


Adorei o lugar :D


Enfins, o pré-cadastro em si foi rápido. O mesário nem olhou na minha cara, só perguntou se eu morava com naquele endereço e pronto. Agora é só agendar o exame médico.

Postado por Guilherme Batista, em 07/01/2009

Nenhum comentário:
acho que esqueci de postar uma imagem no post anterior

xo ver aqui



Ah não, era pra imagem ter entrado no texto que eu teria escrito



_g burro. Agora morram!*






créditos dessa linha a Morróida
Nenhum comentário:
Eu ia escrever um texto mostrando por que o brogui (a pessoa. Eu nunca lembro do nome do cidadão) é um imbecil financeiramente falando (LIKE ME! :D), mas deixei de lado.


Um cara que usa a desculpa de que precisa pagar as contas e que por isso faz publi-posts já é zoado por si só, nem preciso me dar ao trabalho*




*O post tá sendo feito pq eu tenho cinco minutos livre e quero aumentar as visitas com o nome do blog dele lá em cima (6)

Pra namorada

Nenhum comentário:
:)

Acessórios para notebook

Postado por Guilherme Batista, em 06/01/2009

Nenhum comentário:
... e prometo este ser o último texto da série "adquirindo um laptop" ;). E se esse não for um último texto, nunca mais vote em mim

Você tem o notebook, tem a capa de neopreme pra deixar ele livre de arranhões na hora de transportar e tem a mochila que diz "Look for laptop in another bag". Mas não é só isso, certo?


Considerando a ambiciosidade humana, nunca é "só isso". Sempre precisamos de mais, e mais, e mais, and over and over again

Tenha em mente: a maioria dos acessórios abaixo são opcionais, exceto por modem 3G e mouse. Esses últimos se tornaram essenciais nos últimos meses :)

Mouse
Aqui podemos ter duas opções: mouse USB e mouse wireless. Por uma questão de praticidade, eu prefiro os USB. Primeiro, por ter uma chance de incompatibilidade menor que a do wireless [já vi casos em que um mouse wireless interferia na placa bluetooth, ou até na própria placa wireless do laptop mesmo], e segundo por eu não ter que me preocupar com a duração da pilha do mouse. Whatever, vai do gosto, mas atente para a questão do peso. Confesso que não sei a que pé esta o peso dos modelos wireless, mas antigamente [tipo 2005] eles eram pesadões - eu testei um que pesava quase 1 kilo [!!!!]. Atente a isso.

Quanto a mouse USB, recomendo mesmo os mini mouse.

"-Mas Guilherme, eles são pequenos demais!".

Oras, não me venha com desculpas, existem vários modelos de mini mouse. Algum vai ter o tamanho para a sua mão de orc desajeitada :P. Como recomendação de marca, posso assegurar que os Genius Mini Traveller são excelentes. Já vi alguns bons da Leadership e um excelente da Microsoft. Tem mini mouse pra tudo quanto é tamanho. E se não der para usar o mini mouse, use um mouse usb padrão mesmo ;)

Modem 3G
Notebook é sinal de mobilidade, e você nunca estaria realmente móvel se tivesse que usar redes wifis que não são suas, certo? Além de anti ético* e ilegal**, é arriscado de você não ter uma placa wireless compatível com a conexão oferecida no momento.

Perigam N possibilidades de não dar certo aqui.

Quanto ao modem 3G, mesmo com a novela que temos no Brasil, são mais adequados. Veja bem, você paga, va lá, uns 50 reais de conexão por mes e pode conectar à net EM QUALQUER LUGAR, desde que o estado brasileiro que você se encontre tenha uma rede HSDPA ou UTMS [ah propósito: a previsão da Claro é de cobrir o Brasil inteiro com 3G até o final desse ano].

Não sei como funcionam os outros fabricantes, mas com os modens Sony Ericsson, é só plugar e instalar [tenha certeza que ele está com o chip...]. Roda fácil, e o Wireless Manager [o software que acompanha ele e gerencia a conexão] é bem completo. E bem, é um Sony. A coisa vem completa: o meu modem aceita conexões nos dois padrões e em todas as frequencias atuais ;)

Pen drives
No Brasil, direto alguns dados precisam ser mandados de um lado pra outro. Dados pesados geralmente, e nem sempre as conexões de rede estão disponíveis. Então você simplesmente pode mandar via pendrive. Temos modelos de pendrive com 4gb valendo uns 32 reais [legalmente]. Nem é tão caro assim, vai :P

Hubs usb
Aqui é pra quem tem muita conexão USB e o bluetooth não dá conta. Uma hub mediana sai por 15 reais, é só plugar no laptop e depois plugar os outros gadgets nela. Simples, não? E você deixa uma porta USB apenas ocupada. Atente que a velocidade daquela porta USB vai ser compartilhada entre os gadgets conectados, então não reclame se a conexão com eles ficar 0.0001 segundos mais lenta

Fones de ouvido
Porque afinal de contas, você quer ouvir suas músicas ou seus vídeos, e não vai poder fazer isso com as caixas de som que estão no laptop, no meio do shopping, certo? É um lugar barulhento, mas um bom fone de ouvido dá conta do recado.

E eu falo dos ear bud e in ear, não me inventa de pegar um headphone. Todo notebook atual vem com microfone embutido, então a desculpa de usar um headphone por causa do microfone foi por água :P

Adaptadores de cartão de memória
Afinal, de que adianta ter um megaboga leitor de cartões de memória se você só tem mini sd ou m2?

cabo de aço
A melhor opção para manter o note fixo num lugar só :). AQUI SIM, os da Targus servem - por usarem senhas numéricas.

Benjamin
Sabe quando você não tem tomadas extras, e a única disponível é aquela que o amigo da namorada tomou posse?

Então, é só plugar o benjamin nela e os dois usarem o laptop. Simples e prático.

Limpador de tela
Um pano limpo, de algodão, que não solte ferpas. E líquido próprio para tanto. Lembre-se de limpar com a tela desligada. Assim você mantém uma aparência de limpa naquela tela que todo mundo acha que é touch screen e resolve meter o dedo.

Extras do extra
Cabos USB de toda espécie são sempre bem vindos. Controle remoto também - e caso seu notebook não tenha bluetooth, um adaptador vem bem a calhar [comprei um hoje de 60 reais, é minúsculo o bicho]



Cuidados especiais
Bem, não é exatamente um acessório, mas vale citar. Não deixe seu laptop cair - eu sei, é básica essa, mas mesmo assim eu vejo um wannabe ou outro com isso.

Tente manter sempre seu laptop na horizontal. O máximo possível.

Evite que ele receba choques. Se você tem o costume de batucar enquanto ouve música, vai acabar batucando no laptop quando ouvir música nele. Esqueça. Choques ao carregá-lo também devem ser evitados - ou seja, nada de botar ele no chão do busão.

Não coloque-o sobre superfícies acolchoadas, isso pode tapar as entradas e saídas de ar - o que vai fazer com que seu processador frite :). Ninguém gosta de ficar sem ar, seu laptop também

E por falar em aquecimento, evite deixa-lo exposto diretamente ao sol. Laptop já é uma coisa quente [o processador do meu costuma atingir uns 60 graus. Já vi relatos de processadores que chegaram a 80º] e você não precisa ajudar a deixar mais quente ainda. Fuja do calor como o diabo foge da cruz :P

Enfins, é isso. Caso você tenha comprado seu primeiro laptop usando essas dicas, vai mais uma: ele não vai durar na sua mão. Porque, por mais cuidadoso que você seja, em alguma coisa você errou. Na escolha de material de qualidade, suporte, duração com a bateria, etc, etc, etc. O seu segundo laptop certamente durará mais, então nem se preocupe muito com esse.

Enjoy o/


*anti ético mas eu conheço alguém que já fiz, não sei quem fui.
**existe uma polêmica sobre acessar redes abertas ou não, mas num apanhado geral, a coisa fica configurada como roubo de sinal de TV. Não tive paciência de procurar mais sobre isso, mas creio que há esse risco

Nenhum comentário:
Legal, umbigosfera, vocês já deram a entender que blogs no Brasil já puderam ser um meio de ganhar algum dinheiro extra, mas que ainda mantém o estigma de serem apenas blogs e a porra toda.

Agora vocês podem voltar à postar sobre o que vocês realmente gostam? É pedir demais isso?

Postado por Guilherme Batista, em 05/01/2009

Nenhum comentário:
_g | é "zoom", e não "zomm", animal! diz:
adivinha quem é o mais novo certiificado GAP em embu?
CØRINTHIÅNÅ©® diz:
GAP...?
sem siglas PORRA

_g | é "zoom", e não "zomm", animal! diz:
google advertising professional
CØRINTHIÅNÅ©® diz:
sua mãe gosta de siglas
anl/vgl/orl/compl.
_g | é "zoom", e não "zomm", animal! diz:
AHEUAHEUAHEAU
CØRINTHIÅNÅ©® diz:
UHAhauhUHAuh
_g | é "zoom", e não "zomm", animal! diz:
orl grtorio

Macfags. aquietem as periquitas

Nenhum comentário:
Titio jobs não vai morrer tão cedo, esperamos: clica aqui, estrupício

Pra quem não entende ingles [porra, isso é ensinado na escola básica hoje em dia], é o seguinte: Jobs não vai morrer por ter câncer de cu, ou pq passou licor de cair pinto. Ele simplesmente tinha uma perda de peso que seu médico desconhecia, e recentemente foi descoberto ser um desvio hormonal. Ele contou isso para seus chegados na Apple, e explicou na carta que não irão a Macworld [ou qualquer evendo macfag] meramente por que ganhar peso e se curar se tornaram as priori dele


Bem, eu não gosto dos Mac, e acho o iPhone uma perda de tempo, mas não desejo mal ao cara que criou o eu desejo de consumo: iPod touch screen :P

Mochilas para notebook

2 comentários:
Ok, você tracou seu perfil e escolheu seu notebook. Fez uma configuração sob medida, pesquisou preços, pechinchou, chorou descontos e chorou na hora de pagar a facada que eu tenho certeza que não saiu por menos de 1200 dinheiros brasileiros [considerando que você comprou um laptop no Brasil mesmo, sem aqueles esquemas de pedir pra uma amigo no exterior e o escambau. E que o laptop é novo, uma vez que no Mercado Livre você consegue laptops usados por preços bem abaixo de 800 paus - e usáveis até certo ponto]

E agora você precisa carregar o bicho pra lá e pra cá, certo? Afinal, se não fosse pela mobilidade, pra que raios tu ia comprar um notebook? Pagar de gostosão na cumunidade, mermão?


E vamos ajudar você a escolher as melhores mochilas para levar um desses! E começe botando aquela sua idéia de comprar uma Targus...


... acredite, isso é como avisar para ladrões "EU TENHO UM NOTEBOOK", ou "NOTEBOOK FOR FREE", "FREE LAPTOP, THIEF HERE" e por aí vai. Es.que.ça. Tu tem que ser muito babaca pra pegar uma dessas E andar a pé por aí, e sua paranóia vai aumentar a niveis extremos. Quer um exemplo? Eu ando de trem quase todo dia. Direto tem um na minha frente com uma mochila Targus, e eu digo bem baixinho "Laptop here"

Um tom de voz baixo numa cidade barulhenta como São Paulo, a uns 12 cm longe da pessoa, é algo teoricamente inaudível, mas todo dono de uma Targus OUVE ISSO, olha pra trás BEM PREOCUPADO e quando vê minha cara de psycho killer fanatic for laptops, aperta o passo. Atente para o fato que a pessoa difilmente olharia para trás nas andanças de trem; geralmente o que mais queremos num trem é PASSAR POR CIMA de quem tá na frente e chegar logo no lugar que queremos chegar.

Antes de comprar qualquer mochila, antes você vai precisar de uma capa de neopreme. Por que? a)ela vai proteger seu notebook de poeiras e riscos na capa, além de líquidos e calor quando ele estiver nela; b)mesmo que sua mochila tenha um compartimento de carga para laptops, ele vai riscar e estragar lá dentro e c)porque eu to recomendando, oras :@

Esqueça as capas de 39 reais: aquilo não é neopreme nem no Paraguay, que dirá aqui. Capas de neopreme decentes você consegue a partir de 70 reais, as mais duras [que irão MESMO proteger seu laptop de alguns danos] saem por uns 150, 200 reais. E por que tão caro? Porque, meu amigo, qualquer dano mínimo ao laptop vai custar, pelo menos, uns 400 paus pra arrumar, então é melhor previnir, certo?

Comprada a capa de neopreme, vamos partir pras cabeças agora e pegar a mochila. Como já disse acima, ESQUEÇA AS TARGUS, isso é dar pala para bandido. O mesmo se extende à maleta, qualquer que seja ela. A escolha da mochila vai depender basicamente do tamanho do seu note: se você tiver um de 10'', uma Risca estudantil ou até mesmo uma marca mais genérica irão servir, desde que você tenha o cuidado de manter as correias dela bem justas em você [sem machucar, ok?]. O motivo? quanto mais firme e seguro estará o note, menores são as chances de ele balançar e detonar alguns componentes internos. Tudo bem que hoje em dia temos peças bem resistentes, mas não é bom arriscar. Principalmente por causa do LCD

Para modelos entre 11 e 17'' , as mochilas de academia são úteis. Recomendo por uso próprio a Wilson, modelos Tour ou Pro Staff [a segunda tem mais espaço interno, a primeira tem mais organização e bolsos externos]. Os três compartimentos principais permitem que laptops desses tamanhos sejam transportados sem problemas. O compartimento secundário dessa mochila, destinados a raquetes, é o indicado para levar o note, por que ele é o mais próximo das costas, é acolchoado dos dois lados e, fechado, tem pouca abertura. Ou seja, poucos choques no garoto.

Modelos acima de 19'' não são nem um pouco portáteis, mas pro diabo: você quer levar ele pra todo lugar! Nesses casos, recomendo aquelas bolsas de academia mesmo. A Nike tinha um modelo de bolsa assim que já vinha com um fundo falso para laptops desse porte; dá uma pesquisada aê que eu to com preguiça agora :P

Falando na nike, uma dica: as marcas esportivas podem até disfarçar que você não tem um notebook, mas os ladrões vão ficar de olho assim mesmo. Afinal de contas, é uma coisa de marca conhecida, logo, cara, entendeu?

No mais a mais, é só isso mesmo. Não pegue Targus, evite isso, fuja dela como o diabo foge da cruz, mesmo que você tenha carro. Não custa pra nenhum ladrão meter uma vela no vidro do seu carro e roubar usa mochila, com seu garoto dentro dela - bem como todos os seus dados nele... :)

Considerações: caso sua mochila venha sem "canguru" [ou: uma alça interna e acolchoada para você colocar ele, é bom você improvisar um, nem que seja com papelão e plástico bolha fino [que eu acho ser bem eficiente que essas coisas acolchoadas, mas whatever]. Se possível, leve a mochila num sapateiro e peça pra ele colocar uma alça ajustável interna pra você deixar o notebook bem fixo.

Mini - guia para Compra de Notebooks

Nenhum comentário:
Recentemente, a namorada quis comprar um HP-Pavilion-Chocolate alguma coisa. Como o bicho é meio caro pra gente ultimamente [maldita crise. Na hora de culpar algo, culpe a crise, sempre], entao eu tentei enfiar na cabeça dela que por hora ela deveria ter algo um pouquinhooo mais barato. Tipo um inspiron ou até um Acer Aspire One. Nada feito, a bicha é teimosa. Bem, ela sabe do que precisa exatamente, embora eu tenha certeza que ela quer comprar um desses por causa da beleza do bicho.

Whatever, isso me lembrou de um post que eu tava procastinando. Os laptops tem tido queda constante no preço, mesmo em tempos de crise. E isso periga muito de fazer com que as pessoas comprem meramente pelo desejo consumista [algo que até mesmo eu já passei]. Antes de mais nada, você precisa ver seu perfil exatamente. Mais especificamente, o que diabos você vai fazer com um laptop?

Ressalva: eu não vou recomendar um modelo específico de laptop, isso é trabalho de quem vai comprar. Vou apenas dar os perfis e indicar as melhores táticas de compras



Alguns perfis existentes


não vou abordar todos, vai ser muito texto

1)Estudante estagiário
você é um estudande que faz estágio numa empresa boa, mas tradicionalista. No Brasil, isso quer dizer que você não vai poder usar internet e nem usar a workstation para estudar. No seu caso, você precisaria de um laptop para fazer seus estudos, talvez com uma rede 3g. Um notebook com 1gb de memória já estaria bom, e alguns gigabytes no hd. Como é para estudos, dificilmente você vai abusar da placa de vídeo (salvo estudantes de design e áreas afins, mas isso eu abordo mais pra frente). Um netbook aqui já estaria bom, desde que a tela fosse de 9'' no mínimo, pois a)você VAI carregar o bicho pra cima e para baixo, e não é bom levar 3,2 kgs extras com os livros e cadernos, b)fatalmente tu vai usar muito texto e imagens, e é horrível usar esses dois em uma tela minúscula de 7 ou 8''; c)tu é um ESTUDANTE E ESTAGIÁRIO, o que no brasil significa muitas coisas, mas uma delas é crucial: SEM DINHEIRO. Não quer que seu preciousssss seja roubado, certo? Então você vai precisar de algo pequeno e que caiba discretamente na mochila normal* que você usa e d)a duração da bateria é um pouquinho maior nessa categoria de laptops, algo entre 4 e 6 horas de uso. Perfeito pra estará na faculdade, considerando que as faculdades desse pais não possuem uma tomada por aluno [pena :( ]

Caso você seja um filhinho de papai, pode pedir um de 12'' pro véio, mas lembre-se sempre do fator peso.


2)Executivo que anda muito de um lugar para outro...
...ou até mesmo uma pessoa normal [tipo eu]. Este perfil anda muito com pastas, gráficos, cds e muitas outras informações para cima e para baixo, e um laptop de 15'' seria algo ruim para quem carrega tanto peso assim - mesmo considerando que uma pessoa desse porte anda de carro, se torna desconfortável tirar um tijolão de 23'' do carro e levar até o cliente. Um laptop com 2gb é o mais recomendado, pois ele vai rodar alguns aplicativos pesados [não me lembro exatamente quais, mas tem uns que comem uma memória desgraçada] consumidores frenéticos-mas-não-tanto-assim de memória ram. Espaço no HD também é bem vindo, se não para levar dados de lá para cá [cloud computing, pen drives e DVDs podem fazer o serviço de armazenamento massivo de dados aqui], ao menos para ter todos os aplicativos que vai usar. A placa de vídeo pode ser integrada mesmo, mas o fator peso continua sendo influente. Então, nego, um de 13'' já tá razoável. 14'', se você quiser algo realmente bom.
Uma aparência sólida vem bem a calhar, bem como material resistente e prático - como os SSDs, acabamento em alumínio, sensor de queda livre, etc, etc
Um exemplo seriam os Dell Latitude [oi, sou fã da marca?]. Os HP Compaq são superiores até, fora os da LG, Phillips e alguns Vaio. Sim, alguns Vaio. Dê uma atenção especial aos que tiverem o raio do sensor de queda livre: ele não vai salvar seu LCD, mas vai desligar o HD [ou o SSD...] e ajudar a manter seus dados sã e salvos. E é obrigatório um controle remoto, para as apresentações.


3)Trabalhadores in-local freelancers
Eis aqui aonde eu estou no momento. Laptops dessa área são muito abrangentes: você pode precisar simplesmente de compilar um java até renderizar um 3d quase perfeito. Precisa ter memória ram pra rodar seus aplicativos de trabalho [Flash, outlook, excel, 3d max, etc, etc. Você entendeu vai], então tudo com menos de 2gb deve ser descartado - exceto se você for também um tipo misto com o estudando, então recomendo um segundo laptop aqui. Espaço em disco vai ser bem-vindo [pois você vai precisar dos arquivos editáveis, que costumam ser mais pesados], então qualquer coisa abaixo de 120 gb deve ser riscada da lista. Geralmente a placa de vídeo integrada dá conta do recado, mas se voce vai rodar 3d, é bom usar um modelo com placa integrada, mas acima de 256mb [e isso vale para a integrada]. Fartura de conexões vem bem a calhar -são úteis uma hora, então as portas HDMI, LAN, Wireless, Bluetooh, IR [Infra-red], IEEE X [onde X é o seu modelo favorito] e PCMCIA são essênciais. A duração da bateria não é tão importante assim, já que você vai usar o bicho constantemente em um lugar só. Modelos na faixa de 13'' a 17'' são o recomendado; ninguém quer ferrar as costas carregando um trambolho, não? ;)


4)Gamers Maníacos com ensejos de Mobilidade
Aqui a coisa começa a ficar REALMENTE paulera. Pra começo de conversa, a placa de vídeo tem que ser obrigatoriamente uma dedicada, de 256mb no mínimo. Já vi laptops ignorantes de 1gb de vídeo [custando algo próximo de 35 mil. Isso é uma história à parte]. Os games mais modernos tem pedido muita memória, então algo com 4gbs ou mais é algo a desejar. Poder de processamento e HDs são fundamentais também, então pegue logo um quad core [ou espere sair os Core i7 para notebooks :)] e um HD de 250 gbs. A tela aqui realmente pode ser extrapolada, então qualquer coisa acima de 17'' já é desejada. Esqueça aqui os fatores "peso" e "duração de bateria", nenhum gamer maníaco está muito preocupado com isso. Se ele quer um laptop, é para levar aos locais aonde aconteceram campeonatos, e nesses lugares, sempre exitem farturas de tomadas perto.


5)Viajantes
Nosso último perfil engloba bastante coisa, mas num aparado geral, são pessoas que não aquietam o rabo em lugar nenhum [Oi, garota sem fio? :P] e precisam de mobilidade. Peso e bateria aqui são extremamente importantes, muito mais o segundo que o primeiro. Embora pessoa que viaje muito tenha sempre um celular mais moderninho, tipo um n95 ou um iPhone, quase sempre vai ser mais confortável usar o laptop mesmo. Existem alguns modelos de laptop que a bateria dura até 19 horas [eu nem vou falar qual é a empresa :P], mas isso é demasiado ignorante: algo que dure 6 horas já tá de bom tamanho. Devido ao fator peso, esqueça HD grande, peque um SSD e aloque tudo na Cloud Computing [o que, para esse perfil, é essencial poder acessar os dados de qualquer lugar do mundo]. A placa de vídeo não é tão importante, então pegue uma integrada mesmo. Quanto ao processamento, relaxe, um core duo já dá conta do recado - até mesmo um Celeron Mobile já serve :P. Se tiver um slot PMCMIA, um tanto melhor, mas não é obrigatório.
Obrigatório mesmo é o viajante ter um modem 3g compatível com qualquer frequencia no brasil [tipo um sony ericsson md 300]
A tela não é tão importante, então qualquer coisa entre 9'' e 12'' já esta de bom tamanho - principalmente pelo fator peso.


Alguns itens são básicos para todo laptop: porta LAN, Wireless padrão g [no mínimo], bluetooth e 3 portas USBs [que podem ser expandidas com uma hub usb].
HDMI no Brasil não é tão necessário assim - A INFO baixa a nota final de laptops sem porta HDMI, mas na boa? Na maior parte dos casos, é perda de tempo ter uma dessas no Brasil recentemente. E a sempre indefectível porta VGA deve estar presente [já vi uns que não tinham :(]

Outra coisa básica a todo laptop é o card reader, algo que seja no mínimo um 3 em 1 [a exemplo, o meu é um 8 em 1. Ou seja, ele lê 8 modelos diferentes de cartão de memória em 1 só].

Gravador de DVD e Blue-Ray são essenciais em quase todos os modelos, exceto os netbooks e modelos que prezam pelo peso leve. Baterias extras são recomendadas, mas apenas para quem viaja muito, do contrário será apenas peso extra. Slot PCMCIA é recomendado, mas hoje em dia quase tudo é feito pela porta USB, ele nem é tão importante assim.

Quanto à segurança, um fecho Kensington é item de série hoje em dia, mas de preferência aos que tenha finger print.

Todo, absolutamente todo laptop comprado deve suportar mais memória RAM, HD ou SSD de maior capacidade, upgrade de placa de vídeo e processador - assim você consegue manter a vida útil do laptop.

Se você vai comprar o seu primeiro laptop, recomendo muito se perguntar o que você vai fazer exatamente com o laptop, identificar seu perfil de uso e aí partir pra pesquisa. Antes de fechar a compra, consulte os fóruns de tecnologia sobre aquela marca de laptop, prazos de entrega, facilidade de upgrade, etc... tudo o que você puder descobrir sobre os modelos em vista. Quanto mais, melhor. Quando você descobre exatamente o que vai fazer com um laptop, tudo fica mais fácil. Por exemplo, para os viajantes, eles podem comprar um netbook com um SSD de 4gb e um hd externo de 1 tb.

Os exemplos estão aí, é só anotar e ver quais são as suas reais necessidades :P. POR FAVOR, não dê tanta ênfase ao design da coisa: as pessoas dificilmente irão olhar pro laptop e dizer: "nossa, que coisa mais quadrada e feia!". Dê enfase ao design geral, como o acabamento geral do note [peças de qualidade?], teclado [que deve ser grande e baaaastante silencioso], material do touchpad e resistência desses materiais.

Agora é só anotar essas dicas e partir pras cabeças, yo! o/

*Digo mochila normal porque a maioria das pessoas usa mochilas comuns. Eu carrego meu note numa wilson que cabe um laptop de 17'', é GRANDE PRA CARALHO ela. Tamanho do note não é preocupação pra mim :)

Razões para confiar, sim, na cloud computing

Postado por Guilherme Batista, em 04/01/2009

Nenhum comentário:
Claro que o texto anterior se referia exclusivamente à heavy users sem um determinado norte para saber se poderiam usar ou não o raio da cloud [GOT IT? Raio, cloud, ham ham?] computing. Não que algum heavy user vá precisar de fato da minha ajuda, but... o interessante é que depois que eu fiz aquele texto que eu vi um do John-alguma coisa, aquele que escreve pra info. Em seu texto, enfatisou o ponto da cobrança que eu havia citado aqui ;).


Maaaas, como a maioria do meu tráfego é feito de paraquedistas, com certeza eu vou ver resultados, ao menos no meu analytics \o/



Razões para confiar sim, na cloud:

Portável


Você tem todos os seus dados acessíveis por apenas um netbook de 8'', um SSD de 4gb e um modem 3g, ou ligado no Wi Fi. Sim, isso é realmente possível. Há diversos cenários para isso, em especial, o fato que netbooks são usados principalmente por a)pessoas que viajam muito e não querem andar com 3,2 kgs extras na bagagem, b)dados vitalícios que não podem ser transportados num notebook devido aos roubous e c)POR QUE EU TO FALANDO QUE É BOM, ORAS! ;)

EX: Já fui Gerente de Projetos numa empresa de eventos e consultor de um setor do bradesco. Em ambos casos, eu tinha que andar muito pra lá e para cá, indo da matriz até o cliente. E diversas vezes eu precisava levar um notebook para fazer uma apresentação. No caso de gerente de projetos, era a empresa quem me dava o note. Era um HP Pavilion alguma coisa, bem antigo, mas extremamente funcional pro que precisava. Já no caso de eu ser consultor, eu tinha que usar meu Inspiron mesmo. Em ambos os casos, tinha os dados à mão, mas não tinha praticidade nenhuma andar com esses bagulhões pesados na mochila. Foi foda.

Hoje em dia bastava eu jogar a apresentação na cloud, va lá, num google docs da vida, chegar no cliente, conectar na net e pronto, apresentação feita. Bem mais simples, não?

E nem preciso citar as vantanges para jornalistas, empresários, médicos, engenheiros, palestrantes e afins. Vai fazer uma apresentação? Usa um netbook com a internet :)

Segurança de Dados


Ok, eu sou paranóico pra caralho com isso, mas digamos que eu faça backup regular dos meus dados em dvd e na cloud. Caso um incêndio aconteça e destrua todos esses dvds, além do laptop e do desktop, como eu fico? Sem dados, desesperado e penando pra recuperar dados que estão comigo desde 96. Que foi? Eu sou apegado a esses dados, oras...

EX: O incêndio já é um bom exemplo, mas o conceito de cloud computing vai além de backup. Abrange "web services" completos, e isso inclui a redundância de servidores [para leigos: seu servidor caiu e outro servidor entra no lugar dele, em poucos segundos. A locaweb tem um serviço assim], compactação dos dados online, phising scans e cloud anti virus. Tem-se praticamente um bunker online para proteger your preciouussssss

Acesso Imediato


Acredito eu que isso já é uma realidade nos EUA e em outros países estrangeiros de primeiro mundo, e no Brasil começa a dar suas despontadas. Só alguns problemas seguram o fato da "banda superlarga" não acontecer em terras tupiniquins, como o fato de a Anatel dizer para as fornecedoras de banda "Vocês devem garantir 10% da velocidade nominal apenas". Todo caso, hoje a conexão mínima é de 1mega, o que nos permite arriscar que é só conectar e clicar que os dados que você quer estarão imediatamente disponíveis, guardadas as devidas proporções. Vejamos, por exemplo, o caso dos sites de filosofia GTD e os to-do lists que o gmail proporciona agora. VOcê não precisa de uma conexão de 34mbps para ver essas coisas [que são coisas que de fato tem sentido ficar numa cloud computing]. 500k já dão conta, pois isso tudo é texto com uma formatação em CSS bonitinha - e raramente uma imagem aqui e acolá.

EX: O del.icio.us é um excelente exemplo de cloud, e taí desde 2006, acho. Os to-do lists do gmail também são exemplos. Dados que simplesmente estão lá, você só precisa entrar com o login. Em alguns casos, nem precisa esperar carregar, ainda mais com a banda cada vez mais larga no Brasil.

Ok, eu disse que ela é larga, não que ela é confiável ou operacional.

Registro dos seus passos


Pode soar paranóico de início, mas é, sob certo ponto de vista, bom. O google history taí pra isso: você loga no google, navega em quantos sites precisar, desliga e no meio da madrugada, lembrou que precisava baixar aquele arquivo importante.ppt, mas ficou a noite inteira zapeando no orkut e fechou a aba dele - além de não conseguir lembrar em que maldita URL aquela joça tava. Então você vai e tranquilamente entra no history e pega a URL.
Simples, fácil e básico.

E a explicação já é um exemplo :P

A volta dos HDs de 1 dígito!


Ou, melhor dizendo, o uso de SSDs de 1 dígito. Não que isso seja megaboga de bom, mas há alguns fatos a considerar: a)são mais baratos que um hd monstro de 120gigas; b)são indiscutivelmente mais leves; c)consomem menos energia, o que no caso dos notebooks é uma tremenda vantagem para a autonomia da bateria e d)com menos espaço em disco, você vai colocar menos pornografia neles. Ou não :P. Fora que com pen drives cada vez mais ignorantes de 64giga, podemos ter um "hd externo" se botarmos 4 pendrives desses numa hub USB e ligar a hub numa das portas do netbook (ou do laptop, se você for um insano como eu que gosta de gambiarras sem sentido - coisa típica de brasileiro, vá.). Graças a esses 4gb ou 8gbs que você pode ter normalmente num netbook, você seria obrigado a manter tudo nas nuvens. Ou ser extremamente metódico com o que vai no seu companheiro de viagem

EX: O Kid, do Hdb [perceberam que eu estou com uma extrema preguiça de usar links hoje?], comprou um Acer Aspire One só para instalar joguinhos [ô inveja]. Se eu tivesse um desses, usaria apenas para postar nesse blog e ficar conectado por mais tempo enquanto o inspiron ficava com o que realmente importa, o trabalho pesado de criação de sites e gerenciamente de projetos. E se eu conseguir comprar um desses pra namorada, ela vai ter algo que vai lhe permitir acesso ao deus são google e tirar suas dúvidas na interweb [facilidade que nem eu tive na UNIP, e olha que nossas máquinas tinham internet...]. Fora as rádios online, que permitem que você monte sua programação. E os newsground da vida, com seus trocentos jogos alocados. Etc, etc, etc, hoje em dia um HD monstro não é tão necessário para os usuários comuns.


Bem, acho que é isso. Pesando na balança, a cloud computing no brasil é, ao meu ver, inviável POR HORA, devido a um pequeno, minúsculo e sempre negado fator: traffic shapping. Todas, eu digo TODAS, as operadoras o fazem. Finjem que não, mas fazem - eu mesmo fazia, quando trampava num servidor - e nunca irão admitir isso. A banda larga no Brasil está finalmente mudando, temos a tecnologia 3g que nos dá acesso em todos lugares que vamos, o problema mesmo são as limitações ridículas. Se você está disposto a arcar com os custos extras, bem, fique a vontade para pegar uma dessas, mas para grande parte da população, até o segundo semestre desse ano, vai ser inviável.

Razões para NÃO confiar na Cloud Computing

Postado por Guilherme Batista, em 02/01/2009

Um comentário:
Não sou lá muito formado em tecnologia e muito menos sou lá um consultor digital de renome no mercado - mas pro diabo com isso, aqui é a internet e eu posso falar do que me vier na telha mesmo :P

Quando fiquei sabendo do conceito de Cloud Computing, pensei que era algo que existia desde, deixe me ver de memória... 1998, quando fiquei sabendo que exisitam HDs que não precisavam de estar na máquina. Álias, o próprio FTP já pode ser considerado um parente pré-histórico do Cloud: bastava você ter uma conexão com a web, o login e o endereço do servidor em questão que você já tinha acesso aos dados que estavam lá

Bem, tinha lá suas falhas de segurança, mas no geral, eu achava mais confiável. Na época não sabia exatamente o porque, só recentemente, com esse conceito enfiado na minha goela que fui me tocar. As razões de eu não confiar NEM UM POUCo nas Nuves? Tá:

-Você precisa de uma conexão com a web


Isso por si só já é um problema. Se sua placa de rede queima, além de precisar de uma placa nova - e se você estiver com um note, vai ser um LAPTOP novo mesmo - você simplesmente não conecta. Ah, é rede wi-fi? E se as antenas, ou o roteador, queimarem? Duh, quer dizer que você conecta via rede 3g? Bem, esse texto está sendo escrito num notebook que, em teoria, deveria estar conectado à rede 3g, e eu estou conectado na EDGE. Álias, ESTAVA, a conexão acabou de cair. Não é 3g, é satélite? Sinto dizer, devem ter algumas nuvens e uma tempestade elétrica na atmosfera impedindo sua conexão.

O que eu quero dizer é que simplesmente sem conexão com a internerd você NÃO TEM acesso aos seus preciosos dados. Sem web, sem cloud. Sem cloud, sem dados. Sem dados, sem trabalho.

EX: Seus dados em qualquer lugar. Desde que o item 1 exista
Já aconteceu comigo: numa reunião super importante, a conexão 3g falhou, o wi fi não conectava e o cabo de rede não chegava aonde o note deveria estar. Resultado? Fiz a apresentação no swf e enrolation mesmo. Mas os dados principais estavam comigo, mas os dados que dariam AQUELE PLUS na porra da apresentação simplesmente não estavam ao meu alcançe. Me fodi lindo né?



-Você não tem controle nenhum sobre o que fazem com seus dados. Ou do que acontece com eles.


Há um livro chamado "Os Axiomas de Zurique" que, num dos trechos, dizia que você deveria estar constantemente preocupado. Claro que isso se referia a preocupações de ordem financeiras, tipo ações na bolsa e o caralho. Sobre os seus dados, você tem que ficar despreocupado. E sou muito, MUITO paranóico com dados. Não me agrada a idéia de ter qualquer um podendo ver as cantadas baratas que mando pra ari via email. Vai que quem cuida do servidor é um terrorista russo que vai usar essas cantadas como arma verbal contra o resto do mundo? Não me agrada a idéia de dar armas perigosas pro terrorismo

EX: um belo dia estava lá eu, belo, lindo e folgado, escrevendo um PUTA TEXTO pra aula de Redação com foco Publicitário. Sim, eu tive aulas de "redação publicitária", não me torre. Em suma, eu escrevi um pusta reclame para um outdoor [naquela época, nós podíamos usar outdoors em sampa]. O redator amigão meu olhou pro texto e falou: "Tá uma bosta". O redator chefe olhou pro texto e falou: "tá uma bosta retumbante". O SÉRGIO VALENTE olhou pro maldito texto e falou: "TÀ UMA BOSTA INCANDESCENTE! PÕE NO PRÓXIMO OUTDOOR DA TELEFONICA!". Em suma, gostaram. E cooomo na época eu não dispunha de pen drive [estagiário, né?], nem de quem me emprestasse um, pensei: "Que se foda-se! Vou jogar no google docs e eu pego na facul!"

Quando cheguei na facul, o texto simplesmente tinha sumido. E até hoje deve estar perdido em algum HD do google. E eu peguei DP logo no primeiro semestre.



-Seus amigos foram pra web!


Tudo bem que a maioria dos meus amigos eram composta de nerds esquisofrênicos imbecis que achavam que o sinônimo de saco roxo era ser capaz de compilar um Kernel, ou de tirar um acerto crítico em Vampiro e diablerizar o Caim (!!!). Isso era perfeitamente aceitável, até porque, quando eles se enfurnavam no seu mundinho nerdico bolha, eu estava com a namoradinha da época. Só que a gente, eu, os amigos e a namoradinha, saíamos bastante; o centro de embu tem lá suas opções de diversão juvenil. Mas o problema é que com o advento da internet pós bolha, nego achava o must ficar eternamente conectado e mantendo dados armazenados na web. Aí inventava de baixar eles no celular JUSTO NA HORA DO CLÍMAX de um jogo de RPG. E a conexão naquela época era via PIOR que as EDGE.

EX: tá no texto acima, não me peçam exemplos aqui

-Informação picotada e limitada.


Wiki? Last.fm? Diretório do podcasts? TUDO vem absolutamente limitado. O primeiro acabou se tornando uma piada com a Desciclopédia e a própria Wikipedia. O segundo é horrível de lento e, apesar de ser os usuários que fazem o conteúdo, geralmente você só tem acesso a 30 segundos.
Broxada master não pode haver maior :P. E nem preciso comentar sobre os epsódios de séries estarem limitados a 10m/ epsódio no Vocêtubo.

EX: estava lá o bonitão aqui todo pomposo por ter achado um artista foda na Last.FM. Se achando a verdadeira última azeitona do pote na geladeira, o verdadeiro três boludos da agência. Aproveitei o fato que já estava solteiro mesmo, ia cair matando. E caí matando na loirinha peituda e coxuda da agência, a estagiária favorita do presidente [adivinhem o porque...]. Caí matando tanto que ela veio super animada conversar comigo quando viu que eu conhecia seu artista favorito. E eu lá, todo pimpão, abro o last.fm no meu user, chego no artista e vou colocar a música favorita dela e... só rodam 30 segundos.
A garota broxou bonito, até porque na hora eu fiquei, digamos, irritado com o fato. E o caso acabou ali;

Perdi uma fornicação por causa da cloud computing, motivo maior para odiar essa porra não pode haver.


-Certificações esquisitas para esses serviços. E caras


Certificação CISCO? O caralho, o esquema agora é ser certificado em Adsense [alguém em sã consiência CLICA NESSAS PORRAS?], Adwords [alguém em sã consiência CLICA NAQUELES SITES EM AMARELO?], Analytics [alguém sem sã consiência vai lá e não CLICA NAQUELAS ESTATÍSTICAS?], a-alguma coisa.

A mais básica aí custa 850 paus, e periga de tu não passar na prova e ter que pagar 850 dinheiros de novo. E nem preciso botar exemplo aqui.



-Betas


Caiu? Culpe o beta. Perdeu dados? Culpe o beta. O serviço de redundância de servidores deixou de funcionar? Culpe o beta. Queda na Wallstreet? Beta. Morreu um velhinho pisoteado na sexta feira negra? Beta. Chegou aquele email indesejável, deletou, fingiu que esqueceu e o remetente veio querendo seu fígado? Beta.

Tudo bem que a web é um beta eterno, mas isso já tá irritando. E os exemplos foram abandonados por completo agora

-AJAX


Até 2004 isso era um produto de limpeza, e no meio mais nerd possível, um marciano que lutava ao lado de um pirado vestido de morcego e um maluquinho que botava uma cueca por cima da calça e usava um lençol como capa.

Depois veio o hype de que isso era o futuro da web e que iria derrubar o flash na criação de hotsites {AHEUAHEUAHEUAHEUAHEU AEUHAEUHAUE A EUABEAUHEUAHEUAE AEUHAEUHAEUHAE AEUAHBUEHAUEHUAEHAUHEUAHEUA} e mini aplicativos {AHEUAHEUAHEUAHEUHAEUHAEUAHEUAHEUAHEUH²³²³²³²³³}.
Só prestou mesmo pra fazer peso no meu CV. Até hoje eu NUNCA precisei usar isso. O google maps usa, o gmail usa, a Amazon usa, mas eu não. Ajax facilita o uso da cloud, isso é verdade; arrisco a dizer que é a "OOP" da web, já que os dados são carregados quando são chamados mesmo [como os métodos na OOP], mas fora isso, não serve mais pra porra nenhuma. Começando pelo fato de ter que ser desligado quando você acessa de um celular, como o x5610 ou o k550i.


-Possibilidade de cobrança


Essa porra toda de ser gratuita tá muito boa, muito bem, mas o serumano é capitalista: aonde ele ver uma oportunidade de lucro, ele vai tentar lucrar. Com todos os serviços online e você raramente



Tem outros N motivos para não usar a Cloud Computing: possível falta no abastecimento elétrico, um estagiário pode tirar o cabo de rede principal do servidor principal, uma mariposa pode entrar no storage e fritar um dos núcleos de um computador, a faxineira pode derrubar veja multi uso no hack, podem pegar seus dados e usarem contra você [Stalkers do orkut], etc, etc. Mas os principais estão aí. Reflitam.

Depois eu faço um post falando bem da Cloud e quais são as vantagens dela :P

ACESSO RÁPIDO

STAY IN TOUCH

COPYRIGHT Guilherme Batista

Todos direitos reservados