Publicidade

Acesso rápido

Review: Monitor Dell P2214H

Postado por Guilherme Batista, em 26/02/2015

Nenhum comentário:
Então, recentemente eu passei a trabalhar de 1 tela para 2 telas. Ótimo, bom, tenho mais área no computador, uma maravilha, maaaaas...
... Trabalho com programação E design.

Duas telas para produção é algo excelente. Em uma tela, o Photoshop com o PSD aberto; em outra tela, o Sublime Text, ou qualquer outro editor, editando o código. Dá um excelente boost na produtividade. Mas e quando eu preciso de uma área maior de visualização? Atualmente, na minha área, as resoluções mínimas de desktop passaram a ser 1366x768. Isso quer dizer que, em um mundo ideal, os trabalhos devem ser produzidos em uma tela, no mínimo, duas vezes maior que isso.

Então decidi que meu notebook sozinho não era mais suficiente. Eu precisava de mais, porém, sem deixar de lado a mobilidade que tenho com ele.

Eis os requisitos para eu comprar um monitor novo:
- Nada de painel de TN ou VA. Sobram os IPS da vida (o mesmo dos celulares), de preferência, com anti-brilho razoável.

  • TEM QUE TER ÂNGULO de visão bom
  • No mínimo 60% do Adobe RGB
  • Tela FullHD no mínimo.
  • Custar menos de 700 dinheiros nacionais.
  • Ter um monte de opção de ajuste, a ergonomia é importantíssima aqui.
  • Tela menor que 23'' (pq não caberia naquela mesinha ali do meu home office)
  • Não fazia questão de HDMI, mas DVI era essencial.


Isso posto, parti para as escolhas dos monitores. Procurei monitores LG, Samsung, Philips, Sony, Asus... Mas todos tinham a) uma tela enorme, completamente desnecessária para o meu trabalho ou b) Não tinham muitos ajustes ou c) eram caros demais ou d) tudo isso junto e misturado e ainda a tela não chegava nem a 55% do Adobe RGB.

Já estava quase desistindo e partindo para escolher um monitor comunzinho mesmo quando me deu um estalo: Usamos monitores Dell no trabalho. Embora seus computadores tenham se tornado... obsoletos e caros para mim (o notebook que dei para minha irmã, por exemplo, custou o mesmo preço do meu; a memória dele é single-channel, não tem placa de vídeo dedicada e sem SSD), eu sabia que seus monitores eram bons. Não custava sonhar com a linha UltraSharp, não é mesmo?
Mas, hm.... R$900 reais, na época, em um monitor? Eu não trabalho desenhando embalagem, no máximo, um convite para festa de aniversário.

Então deparei com essa linha nova dos monitores profissionais. IPS! Tela de FullHD! 87% do Adobe RGB (depois de calibrado, obviamente)! Ergonômico! Tamanhos de 21 a 24 polegadas! Sem HDMI (acho overrated por causa dos televisores de 2009)! Ângulos de visão generosos! E o que me viciou: portas USB atrás, chupinhado diretamente dos iMacs da Apple. Well, posso viver com isso :).

O modelo escolhido foi o Dell P2214H 



O monitor em si
Escrevi 8 parágrafos antes de falar do monitor. Que lindo. Guilherme, teu sobrenome é prolixidade.
Eis as especificações do dito cujo, tiradas diretamente do meu dia-a-dia


  • Base ergonômica com pivô de 90º, ajuste de altura, horizontal e de ângulo de visão (172º ~ 179º)
  • Painel IPS com anti-reflexo rígido de 3H. Dá pra jogar com o sol da manhã incidindo num quarto claro que não vai atrapalhar minha visão
  • 4 portas USB de downstream e 1 de upstream. As downstream são as que usamos para ligar coisas no monitor; a upstream é a que liga as USBs do monitor em uma USB do computador. A desvantagem: são USBs 2.0...
  • Conexões VGA (sério, em pelo 2015 ainda tem isso?), a única conexão não-digital; DisplayPort, que até hoje só vi os Macs terem de fábrica isso, e a DVI-B.
  • Trava Kensington (!) anti-roubo. O que é extremamente engraçado: estamos falando de um monitor de 21,5 polegadas, uso destinado a empresas e profissional, pesando 3,26 kg + a base, medindo 13,94" ~19,04" (354,2 mm ~ 483,6 mm ) x 20,19" (512,7 mm) x 7,09" (180,0 mm). Não dá para simplesmente enfiar na bolsa e sair levando para casa sem levantar maiores suspeitas. Mas vai saber, hoje em dia tem retardado para tudo.
  • Suporte ao kit VESA, como se alguém fosse pregar esse monitor numa parede, ou num suporte de parede. Se bem que, dependendo do suporte... :)
  • Baixo consumo de energia para um monitor desse porte
  • Geralmente eu não falo do design dos gadgets, pq isso é um item muito subjetivo, mas dessa vez... Um design bem construído, sólido, com plástico duro (o que eu não gosto), botões bem definidos e sem aquele bendito led dos UltraSharp, que acendem só de você respirar - o que é extremamente irritante, dado que você se mexe na mesa e eles acendem. Achei bonito, no geral, e o design combinou com o notebook.


Algumas fotos dele instalado rodando meus programas mais usados:





Aquela fartura de conexões


Olha, ele vira 90º e vira uma baita tela vertical :D



O ângulo de visão generoso. Ignore a macha de sol, a tela estava virada diretamente para ele. A Ariane consegue ver o que acontece nessa tela do nosso quarto. ou seja, nada de pornografia


A bagunça de fios atrás dele (para o meu desespero. Sério, dá agonia olhar esse emaranhado de fios quando tenho que mexer atrás da mesa =[ )



Vantagens
- HUB USB integrada ao monitor = menos fios passando de um lado para outro na sua mesa, vão todos para o monitor
- Painel IPS com excelente ângulos de visão, ergonomia, contraste e aproximação das cores impressas. Só falta fazer café
- Tudo isso que falei ali em cima
- Custo com frete: R$679
- DPI alto para seu padrão. 173, senão me engano. Não é um Retina Display, mas pelo menos eu não vejo os pixels das coisas na distância em que estou dele.
- Tem tanta área de monitor, que eu acho que algum integrante do MST vai invadir o monitor, tomando posse e declarando aquele pedaço como área improdutiva.

Desvantagens
Nem tudo é perfeito, né? A maior delas é a ausência de USBs 3.0. Nem é tão cara assim, mas pelo que entendi, até mesmo alguns monitores mais caros, da linha UltraSharp, não tem essas portas. Uma pena.

O material de construção é o plástico duro. Apesar de ser agradável ao toque, não é dos melhores materiais - tem uma partezinha, do lado esquerdo, na mesma altura dos botões, que se apertar ela estala. Parece ser mal encaixada, mas é do material mesmo.
O espectro de cores podia ser maior (atingir, sei lá, 93% do Adobe RGB), mas dada a proposta da linha, está até bom.

Voltando as conexões, não gostei da conexão VGA - que é analógica - e da falta do HDMI. Não que eu use, mas a impressão que tenho é que, no caso da HDMI, foge um pouco da proposta do monitor, dado a fartura de conexões digitais; e no caso da VGA, além de fugir completamente da proposta -tente passar uma conexão FullHD nessa porta, e você vai ter um agradável Flicker, além de uma excelente dor de cabeça - ela ainda soa como "temos esses milhões de conectores VGA aqui e precisamos despachar eles, para não termos prejuízo. Coloca eles nos monitores profissionais".
Em um monitor de baixo custo ( = R$500 ou menos) , eu até entendo, mas no caso desse aqui...

Outro ponto negativo é a falta de conexões de cartão de memória e/ou de som. Até mesmo linhas mais baratas da Dell tem esses pontos, mas com preços bem próximos ao desse monitor.


Considerações finais
Pelo que pesquisei, essa linha, p-xx14H, foi renovada em 2014, adicionando as portas USB e a base ergonomica. Considero esta linha, e em especial, este monitor, como a escolha do ano para monitores com excelente custo x benefício,

PS: Velho, você simplesmente não acha review de monitor nenhum no Brasil, g-zuis.

Ajustes

Postado por Guilherme Batista, em 21/02/2015

Nenhum comentário:
[UPDATE]
Pronto! Layout terminado. Eis aqui, as alterações:
1)A primeira coisa que se nota é a troca da fonte. Agora usei uma Google Fonts. Pq são mais bonitas que algumas de sistema - helvetica inclusa aqui¹
2)Essa "mancha" aquarelada no fundo é uma singela homenagem a os amigo artista que ralam aí todo santo dia para aperfeiçoar suas técnica, às quais eu tenho profundo respeito²
3) Espaçamentos condizentes com a realidade atual - a menor resolução usada aqui é a de 1300-e-lá-vai-número-estou-com-preguiça-de-fazer-esse-levantamento-agora. Enfins, tem mais espaço para o que interessa - o conteúdo - e menos para a publicidade.
4) Sim, eu diminuí a publicidade. As postagens antigas vão continuar com ela, até pq, não era algo taaaão invasivo assim, mas olha agora temos um banner island na lateral do blog :) ->
5) Removi um monte de coisa inútil do blog inteiro, alinhei os comentários e aprendi como funciona a estrutura do blogger na porrada. Dá até para repensar em uma reestruturação de backend, para agilizar o processo de carregamento do blog
6) "Mas esse layout é leve demais para sua personalidade, vc tem cara de algo mais... urbano" eu não fiz esse layout como uma egotrip, eu fiz pq eu podia E pq eu não sou tão ogro assim :P.
7)AGORA EU TENHO UM RODAPÉ, yeeeeeeeeeeeeeyh!

Aproveitei e modernizei algumas coisas e temos coisas como CSS 3 no blog.


¹Milhares de designers entram em rage nesse instante
²Tradução: "pago um pau".


Quianças

Depois de alguns anos de enrolação, finalmente estou trocando o layout do blog.
Algo mais moderno, mais, hm...je ne se qua, mais condizente com a realidade dos bróguis de hoje em dia. Algo planejado, e não todo remendado como o layout atual.

O fundo novo já foi aplicado. Vou mudar mais várias coisas, pelo menos na versão web (a versão móvel o blogger não me deixa fuçar muito), e vou mudando algo aqui e ali conforme a necessidade.

"Mas poxa, não dava para ter contratado um programador para fazer isso?"
Acontece, pequeno gafanhoto, que:
1) Eu não vou gastar dinheiro com isso
2) Eu também sou programador
3) Faz um bom tempo que quero fuçar no layout do blogger e nunca consigo direito.

Então, é isso. O blog vai ficar instável pelos próximos dias, acho que até sexta feira que vem. Enquanto isso, vão, sei lá, comer berinjela, jogar bocha, queimar formiga com lupa, beber água do volume morto... Vão viver a vida ;)

O que tem no seu home office?

Postado por Guilherme Batista, em 19/02/2015

Nenhum comentário:
Recentemente, consegui montar meu tão sonhado home office =). A ideia aqui é mostrar os exemplos de home office que podem existir no mundo, e de acordo com o perfil de cada pessoa. Eu sou bem reservado, gosto de ocupar pouco espaço e acho que, quanto mais compacto e otimizado, melhor, então: 


Em ordem:
1) Fones de ouvido Sony MDR-ZX300, preto
Não é o melhor fone que botei a mão, mas quebra um galho. Lado bom: sons razoáveis pelo preço. Lado ruim: parece que aumenta qualquer ruído externo ao nível "tem um dragão, dos grandes ,dançando no telhado de zinco da casa"

2) Notebook Asus S46CB
Best. notebook. EVA. Já fiz review dele, mas explicação rápida: Core i5 2,7 Ghz, 6 GB de Ram, 524Gb de HD e placa de vídeo dedicada. O lado bom dele: é a melhor máquina que podia comprar com meu limite, é altamente upgradeável e tem 2 HDs embutidos. Lado ruim: alguns upgrades são travados (nada de melhorar o processador, por exemplo), e o SSD só serve para cache (algo a ser resolvido em breve)

3) Teclado Bluetooth Genérico de Banquinha da Paulista
Comprei pq tava numa época de fazer muito curso, então pareava esse treco com o galaxy note que tinha. Quebrava um galhão na época; hoje só está aqui pq eu *ainda* não achei um teclado ABNT2 que NÃO tivesse aquele tecladinho numérico, pq preciso de espaço para deixar a Wacom nele.
Lado bom: é ótimo para emergências, ocupa pouco espaço e come pouca pilha, Lado ruim: é barulhento demais, parece uma morsa, bêbada, parindo de tanto barulho; e não tem Ç nele. Cópia genélica da Apple, né?

4) Tablet Wacom Bamboo
Comprei logo que entrei no R7, o pessoal lá na época usava essa porrinha e eu queria me adequar a eles ( HÁ, até parece). Com o tempo, acabou ficando parada e agora volta a ativa; ou pelo menos fica ali sempre que eu preciso.
Lado bom: dá para desenhar com muuuuuuito mais fluidez. Lado ruim:não tem borracha integrada na caneta, e as às vezes o driver parece que dá uns bug loco de não identificar a caneta.

5) Microsoft Bluetooth Mouse 5000
Comprei no ML faz uns 3 anos, e tem me acompanhado desde então, seja para as jogatinas de Diablo ou Borderlands, seja para trabalhar. Atualmente tá meio barulhento na rodinha, coisa de mouse velho mesmo. Tem uma área emborrachada que é uma delicia deixar os dedos ali.
Lado bom: consumo de energia baixo (a pilha recarregável costuma durar duas ou três semanas), conforto e ergonomia acima da média. Lado ruim: podia ter uma bateria built-in; e opção de funcionar pela USB. É um saco ficar levando esse mouse de um lado para outro e *ainda* as pilhas e o carregador delas.

6) Monitor Dell P2214H
O novo brinquedinho do papai aqui, chegou hoje e já foi colocado em uso. Painel IPS, 87% do Adobe RGB, hub com 4 portas USB, entrada VGA, DVI-B e DisplayPort, fácil instalação e com essa base que permite regulagem de altura, ajuste horizontal e de inclinação. Tem tanta tela nesse negócio que acho que algum sem-terra vai invadir meu monitor,  falando que aqui tem área improdutiva
Lado bom: é uma tela de 21'' FullHD, a densidade dos pixels é maravilhosa; e o painel IPS tem um tratamento e contrate de cores melhores que o vídeo built-in do notebook, fora o fato dessa tela ser a mesma usada nos iMacs; e o preço é um dos melhores que se pode achar. O lado ruim: não tem HDMI, o que não é um problema para mim; a USB é a 2.0, muito embora eu não faça transferências para HDs externo com regularidade


Não listados na foto / não aparecem
HD externo Samsung M3
Precisava de um para fazer backup. 1 tb de espaço (imagina encher tudo isso de pornografia), por um preço razoável. O lado bom é que foi barato; o lado ruim é que não posso abrir esse maldito case e colocar outro HD nele, que o driver reclama. Saudades do meu antigo case de HD... (que deve estar perdido aqui pela casa)

Samsung Galaxy Note Tab 10.1 (2012)
Companheiro de viagens onde não quero / não preciso usar o notebook e preciso de uma tela maior que a do celular. Serve também de computador auxiliar para o note, pois consigo programar nele e ainda usá-lo como servidor. Também serve de caderno de anotações, sketchbook e caderno para cursos em geral (odeio desperdiçar papel), e se eu colocar um SIM nele, faz ligações. Aceita cartões de memória até 64 gb e tem um cabinho OTG que dá para plugar qualquer acessório nele. Até um iFuck. Também tem um IR e sintonizador de rádio, só não sei se era AM-FM ou só FM. Resumindo, é tipo meu segundo computador. O lado bom: faz tudo isso aí descrito, e por ser Android, consigo expandir o uso dele. O lado ruim: a Samsung abandonou ele no Android 4.3, essa touchwiz dela é pesada e ele faz tudo aquilo em cima, mas não faz café.

iPhone 5C Branco
Embora eu goste dos dois sistemas, tive experiências traumáticas o suficiente com o Android no celular para saber que, como sistema mobile, aquilo não presta, e não há cristão que me convença do contrário. Ele apenas... funciona. Sem travar. O mínimo que se espera.
O lado bom: funciona, tem larga oferta de aplicativos, não existe concorrente a altura do iPod.app. O lado ruim: a bateria não dura nada; a Apple nunca vai liberar o uso de cartões de memória; o compartilhamento de coisas, ainda que tenha melhorado, come muuuuuuita poeira do Android; e a semi-dependência do iTunes.


É isso. Foram alguns anos planejando, montando, trocando e atualizando equipamento, mas posso afirmar: finalmente eu tenho meu home office dos sonhos

Qual o seu gasto de energia?

Postado por Guilherme Batista, em 15/02/2015

Nenhum comentário:
Fi-lo porque qui-lo, e pq eu simplesmente não achei nenhuma informação nesse planeta, chamado internet, que ajudasse a calcular essas informações.
Tem *alguns*eletrônicos aí. Vou atualizar essa lista em algum dia, mas até lá, já dá para se divertir um pouco ;)
Foi montado usando jQuery* e mais algumas técnicas que conhecia há algum tempo, mas não aplicava muito na prática, devido a falta de tempo para me aprimorar nelas.

*Eu sei, mas acredite, manipular DOM com ele é bem mais fácil.

ACESSO RÁPIDO

STAY IN TOUCH

COPYRIGHT Guilherme Batista

Todos direitos reservados