Publicidade

Acesso rápido

Iphone e o "império imparável do android"

Postado por Guilherme Batista, em 30/10/2011

Um comentário:
Testei muitos celulares na vida (não tantos quanto gostaria) e posso afirmar: para mim, não há celular melhor no mundo que o iPhone. Interface simples, fácil de usar, com botões totalmente moldáveis (exceto os físicos) e o conjunto geral de hardware + software fazem dele praticamente imbatível - angariando assim uma legião de fãs no mundo. Principalmente depois da útlima atualização do sistema.

E digo mais: quem diz "eu não gosto de iphone" é, na maioria das vezes, alguém que sequer tentou usar o dito cujo por mais de uma semana.

Dito isso, toda vez que eu ouço alguém se vangloriando de ter um Android tenho ânsias de lembrar essa pessoa que o celular dela só é tudo aquilo graças  ao precedente que o iPhone abriu. Essas ânsias aumentam ainda mais quando, invariavelmente, a mesma pessoa começa a falar mal do iPhone.

Frases já ouvidas por mim (e suas réplicas):
-Alá, o Android já é o mais usado nos EUA! \o/
-Claro. Pra cada 1 iPhone vendido, outros 50 Androids são vendidos. Óbvio que estamos falando de UM smartphone decente e pelo menos 45 outros tão ruins que dá vontade de usar como munição de estilingue.

-Android é aberto!
-E com isso, a mesma fragmentação que não permitiu o linux se popularizar como desktop. Nesse sentido até um Windows Phone é melhor que o Android.

-Tenho o Google Maps com todo o poder dele aqui incluindo visualização 3D dos mapas e o tráfego e mapas offline.
-Não sei você, mas eu não vejo muita gente "usando" o celular como GPS quando estão a pé. As outras features são totalmente dispensáveis enquanto você está dirigindo, exceto o tráfego, que temos no iPhone de qualquer maneira.

-Tenho Flash Lite no meu celular tralalalalala
-E a única vantagem disso é você acessar o xvideos.com e ver os vídeos de lá no original. Coisa que, álias, eles já estão mudando para o padrão do iPhone.

-Meu Android tem hardware melhor! 1 gb de ram! Processador dual core! Resolução de 1280x760 milhões de pixel!
-Amigo, as fabricantes só usam um hardware tão potente assim por exigência do Big G. E ainda asism, é porque o Google sabe que vocês não vão otimizar o sistema pro hardware. Simples assim.
O hardware da Apple até pode ser considerado "fraco" (se bem que conheço jogos de pc que rodariam nele numa boa), mas ele consegue tirar 100% do conjunto da obra. E ainda: hardware potente só gasta bateria mais rápido.


-Olha! Meu android tem o fundo animado!
-Algo tão útil que eu não sei como eu não senti falta disso até hoje.

Nunca ouvi um argumento decente defendendo o Android. Uma pena.


oi

Rápidas

Postado por Guilherme Batista, em 11/10/2011

Nenhum comentário:

 -Realmente, lamento a perda de Steve Jobs. Não por fan-boysismo, mas por saber que ele, com menos idade que eu (à época), mudou o paradigma da computação. Depois mudou o paradigma da música. Depois o da telefonia. Por último, abriu um paradigma novo.
Entre outras coisas que ele mudou indiretamente, como a maneira como fazemos websites hoje em dia.

-Cês viram aquela Dart, a linguagem web do Google, que promete "consertar" os defeitos do Javascript?
Anuncio agora a morte do javascript, tal qual fizeram com o Flash, ou deixo pra lá? De qualquer maneir,a eu já estava prevendo a morte do javascrit antes mesmo desse anúncio.
Sacumé, uma "linguagem" (pq, vamos concordar...) que atualmente só presta pra fazer padronização de websites não dá pra ser levada a sério.

-Fui levar o carro pra trocar algumas peças básicas. R$2mil em peças ao todo.
Mentiram quando me disseram que era como ter um filho. O filho você pode pelo menos vender os órgãos, colocar pra trabalhar no semáfaro, em última instância ele te sustenta quando velho (até a hora de te mandar pra um asilo, seu velho inútil!).
Carro só dá gasto. E cadê as vadias? Cadê as bitches loves car? Se bem que a última que apareceu na minha vida (por culpa da ari :P*) parou de falar comigo e com a ari depois que bateram no carro :/


-Esses dias vi um trio de ratos mortos, numa vala, perto do terminal barra funda. Isso só fundamentou minha opinião: a Barra Funda é tipo um Largo da Batata misturado com Osasco e com requintes de embuenses nativos.
Veja você: eu nunca achei ratos mortos em Pinheiros. Muito pelo contrário: os que achei estavam bem vivos. Alguns tão vivos que até pediam licença pra andar, outros mendigavam algumas moedas para, olha que louco, comprar pinga. São ratos, mas pelo menos são limpinhos e sinceros.

-O fone de ouvido continua bem, obrigado.

-Perdi o show do tias fofinhas, uma pena. Aprendi que, de fato, existe gente egoísta pra caralho nesse mundo.
Tentando revender os ingressos (ou o meu né, pq o da namorada tava nominal, por ser estudante, e eu não ia vender sa porra, pra depois nego falar que eu vendi desonestamente), aprendi que existe gente educada e sincera e honesta nesse mundo. E, olha que legal, consegui vender por 90% do valor que paguei. Por insistência do cliente.
Não sei se a senhora que comprou esse ingresso pode ir ao show com a amiga (ESPERO QUE TENHA PODIDO), mas minha senhora, se um dia você ler esse blog, faça o favor de entrar em contato. Eu monto um set-list especial da banda pra você e mando até por motoboy com encarte especial e fotos raras deles, viu?

-A namorada está com pneumonia, tomando corticóides e sofrendo os efeitos colaterais disso. Ou pelo menos podemos dizer que o mal humor dela é culpa dos corticóides
Na dúvida, sempre culpe os corticódes pelo mal humor, embora eu saiba que eles são inocentes. Dessa vez :P

-Manja quando você está com um peidinho entalado, ele vem, com jeito todo inocente, meigo, carinho, até parece um anjo lindo e cheiroso, e você deixa ele sair? Aí ele se revela um monstro gasoso e fétido que, se tivesse forma física, seria um monstor horrendo, com consistência de tietê?
Então...
Só digo que ardeu pra sair. Acho que dava pra acender fósforo com aquilo. Preciso parar de comer bolo de festa, tá me fazendo mal.

-Falando em festa, fiz uma festinha de aniversário pro meu irmão uns tempos atrás (tipo umas duas semanas, acho). Ficou mó feliz e tudo o mais, mas puta que pariu, ô demora pra entrar em casa. Tivemos que praticamente cuspir na vela pra apagar ela e esperar ela entrar.
Curiosamente o bolo ficou ótimo :D.

-E neste fds foi aniversário do velho. Vaso ruim não quebra fácil, e meu pai está aí, firme e forte feito prego em gelatina.
Foda mesmo foi comprar bolo pra ele. Não pode ser de chocolate, não pode ter coco, não pode ter farinha, álias, não pode ter fermento, tb não pode ter ovo, recheio... era mais fácil ter comprado a porra da bandeja logo.

-That's all folks!



*sempre jogo a culpa nas costas dela, coitada.








oi

Fone de ouvido Nokia BH-503

Postado por Guilherme Batista, em 01/10/2011

Nenhum comentário:

Recentemente consegui colocar os dedos (e os ouvidos também) em um Nokia BH-503, comprado no exterior, por que, obviamente, eu sou pobre. E um fone desses custava R$170,00 aqui, enquanto que, no exterior (dealextreme) saiu menos que isso, mesmo levando em consideração as taxas que aplicam até por respirar aqui. Como eu estava decidido a me livrar dos fios, gradativamente, comecei pelo fone de ouvido (que é um troço que uso o dia inteiro e enche o saco).

PIKACHU, EU ESCOLHO VOCÊ! POR QUE EU ESCOLHI ESSE FONE
Porque eu tenho um desejo estranho de andar por aí travestido de Princesa Leia. Quem nesse mundo não tem esse desejo sadio e perfeitamente comum?

Também porque eu estava de saco cheio de fones com fio (o jack VIVE QUEBRANDO COMIGO, nunca soube exatamente o porque) e porque eu estava cansado de ter ponteira de silicone ou uma espuma enfiadas no ouvido. Incomodava, doía, expandia meu já pequeno canal adutivo, dava infecção, cera e uma coisa laranja pegajosa que usei pra colar papel e ficou lá, colado, durante anos a fio.

Outro motivo é por causa do iphone. Tenho aproximadamente 1k de músicas no bicho, e nem sempre elas correspondem ao meu estado de espírito. Ter que trocar de música é algo recorrente comigo, e com fones tradicionais, isso requeria ficar manuseando o celular e ficar passando o dedo na status bar pra mudar a música ( sorry puristas, apenas iphones jailbreakeados fazem isso). Fora que atender ligações com esse troço é mais higiênico que levar o celular pra orelha e deixar a tela de vidro toda engordurada depois.


Além de tudo, eu gosto de ir pro parque fazer uma caminhada (tudo bem que tem alguns bons MESES que eu não faço isso, mas...), e normalmente vou sozinho. Ouvir música é fundamental pra manter o ritmo, e com fones de ouvido com fios, não dá.
Ou seja, tinha que ser um fone ear-pad mesmo.

E o motivo principal: porque eu quis, diabos.

AGORA COMEÇA A CHIADEIRA PRA QUEM ESTÁ DO MEU LADO, HAHAHAHHA!QUALIDADE DO SOM
Considerando que eu tive os seguintes fones de ouvido:
http://www.submarino.com.br/produto/10/21243967/fone+de+ouvido+-+sbchp460+-+philips
http://www.submarino.com.br/produto/10/21243973/fone+de+ouvido+-+shp1900+-+philips
E mais uns três in-ears que agora eu não lembro o modelo. Todos eles tem uma qualidade de som ex-ce-pi-cio-nal, contanto ainda com abafamento de ruídos (mecânico ou eletrônico) mas... com esse maldito conector que vive.dando.problema.comigo.
A resposta deles era imediata também.

Mas não se pode comparar a qualidade e velocidades das conexões de algo sem-fio com algo com fio.

Como esse é meu primeiro fone bluetooth, eu considerei que ele talvez tivesse algum problema de abafamento com os graves. Depois de ligar no iPhone, vi que estava certo (as usual), mas nada muito constrangedor. Foi só dar uma melhorada na equalização do iPod que fiquei feliz de novo. Mas a qualidade geral perde para fones com fio, principalmente se você é exigente com suas músicas.

O tempo de resposta dos controles às vezes (muito às vezes) demora, mas é coisa de 1 segundo. Perceptível, mas nada que incomode.

Quanto ao abafamento do som, ele tem um mecânico, mas por ser um ear-pad que não cola nos ouvidos, lamento informar, mas não é lá aqueeeeeelas coisas de eficiência. Digamos que dentro de um trem da CPTM você vai ouvir os trilhos, mas a converseira nos vagões só será ouvida se você der o azar de pegar, digamos, uma senhora com voz de taquara rachada e algum cidadão metido a pavarotti, conversando entre si, estando cada um nas extremidades.

E não, não vaza. Só se você estiver com o volume setado no TALO DO TALO. E essa configuração deixa de ser saudável.

VEREDICTO FINAL
Compre compre compre compre!

OBS: a bateria desse bicho dura 13 horas (DIRETAS) tocando música e 10 dias (!!!) em stand-by. Ou seja, DURA MUITO MANOLO.


Guilherme está ouvindo música nesse momento ("Cigaro", System of a Down)

ACESSO RÁPIDO

STAY IN TOUCH

COPYRIGHT Guilherme Batista

Todos direitos reservados