Publicidade

Acesso rápido

Razões para confiar, sim, na cloud computing

Postado por Guilherme Batista, em 04/01/2009

Claro que o texto anterior se referia exclusivamente à heavy users sem um determinado norte para saber se poderiam usar ou não o raio da cloud [GOT IT? Raio, cloud, ham ham?] computing. Não que algum heavy user vá precisar de fato da minha ajuda, but... o interessante é que depois que eu fiz aquele texto que eu vi um do John-alguma coisa, aquele que escreve pra info. Em seu texto, enfatisou o ponto da cobrança que eu havia citado aqui ;).


Maaaas, como a maioria do meu tráfego é feito de paraquedistas, com certeza eu vou ver resultados, ao menos no meu analytics \o/



Razões para confiar sim, na cloud:

Portável


Você tem todos os seus dados acessíveis por apenas um netbook de 8'', um SSD de 4gb e um modem 3g, ou ligado no Wi Fi. Sim, isso é realmente possível. Há diversos cenários para isso, em especial, o fato que netbooks são usados principalmente por a)pessoas que viajam muito e não querem andar com 3,2 kgs extras na bagagem, b)dados vitalícios que não podem ser transportados num notebook devido aos roubous e c)POR QUE EU TO FALANDO QUE É BOM, ORAS! ;)

EX: Já fui Gerente de Projetos numa empresa de eventos e consultor de um setor do bradesco. Em ambos casos, eu tinha que andar muito pra lá e para cá, indo da matriz até o cliente. E diversas vezes eu precisava levar um notebook para fazer uma apresentação. No caso de gerente de projetos, era a empresa quem me dava o note. Era um HP Pavilion alguma coisa, bem antigo, mas extremamente funcional pro que precisava. Já no caso de eu ser consultor, eu tinha que usar meu Inspiron mesmo. Em ambos os casos, tinha os dados à mão, mas não tinha praticidade nenhuma andar com esses bagulhões pesados na mochila. Foi foda.

Hoje em dia bastava eu jogar a apresentação na cloud, va lá, num google docs da vida, chegar no cliente, conectar na net e pronto, apresentação feita. Bem mais simples, não?

E nem preciso citar as vantanges para jornalistas, empresários, médicos, engenheiros, palestrantes e afins. Vai fazer uma apresentação? Usa um netbook com a internet :)

Segurança de Dados


Ok, eu sou paranóico pra caralho com isso, mas digamos que eu faça backup regular dos meus dados em dvd e na cloud. Caso um incêndio aconteça e destrua todos esses dvds, além do laptop e do desktop, como eu fico? Sem dados, desesperado e penando pra recuperar dados que estão comigo desde 96. Que foi? Eu sou apegado a esses dados, oras...

EX: O incêndio já é um bom exemplo, mas o conceito de cloud computing vai além de backup. Abrange "web services" completos, e isso inclui a redundância de servidores [para leigos: seu servidor caiu e outro servidor entra no lugar dele, em poucos segundos. A locaweb tem um serviço assim], compactação dos dados online, phising scans e cloud anti virus. Tem-se praticamente um bunker online para proteger your preciouussssss

Acesso Imediato


Acredito eu que isso já é uma realidade nos EUA e em outros países estrangeiros de primeiro mundo, e no Brasil começa a dar suas despontadas. Só alguns problemas seguram o fato da "banda superlarga" não acontecer em terras tupiniquins, como o fato de a Anatel dizer para as fornecedoras de banda "Vocês devem garantir 10% da velocidade nominal apenas". Todo caso, hoje a conexão mínima é de 1mega, o que nos permite arriscar que é só conectar e clicar que os dados que você quer estarão imediatamente disponíveis, guardadas as devidas proporções. Vejamos, por exemplo, o caso dos sites de filosofia GTD e os to-do lists que o gmail proporciona agora. VOcê não precisa de uma conexão de 34mbps para ver essas coisas [que são coisas que de fato tem sentido ficar numa cloud computing]. 500k já dão conta, pois isso tudo é texto com uma formatação em CSS bonitinha - e raramente uma imagem aqui e acolá.

EX: O del.icio.us é um excelente exemplo de cloud, e taí desde 2006, acho. Os to-do lists do gmail também são exemplos. Dados que simplesmente estão lá, você só precisa entrar com o login. Em alguns casos, nem precisa esperar carregar, ainda mais com a banda cada vez mais larga no Brasil.

Ok, eu disse que ela é larga, não que ela é confiável ou operacional.

Registro dos seus passos


Pode soar paranóico de início, mas é, sob certo ponto de vista, bom. O google history taí pra isso: você loga no google, navega em quantos sites precisar, desliga e no meio da madrugada, lembrou que precisava baixar aquele arquivo importante.ppt, mas ficou a noite inteira zapeando no orkut e fechou a aba dele - além de não conseguir lembrar em que maldita URL aquela joça tava. Então você vai e tranquilamente entra no history e pega a URL.
Simples, fácil e básico.

E a explicação já é um exemplo :P

A volta dos HDs de 1 dígito!


Ou, melhor dizendo, o uso de SSDs de 1 dígito. Não que isso seja megaboga de bom, mas há alguns fatos a considerar: a)são mais baratos que um hd monstro de 120gigas; b)são indiscutivelmente mais leves; c)consomem menos energia, o que no caso dos notebooks é uma tremenda vantagem para a autonomia da bateria e d)com menos espaço em disco, você vai colocar menos pornografia neles. Ou não :P. Fora que com pen drives cada vez mais ignorantes de 64giga, podemos ter um "hd externo" se botarmos 4 pendrives desses numa hub USB e ligar a hub numa das portas do netbook (ou do laptop, se você for um insano como eu que gosta de gambiarras sem sentido - coisa típica de brasileiro, vá.). Graças a esses 4gb ou 8gbs que você pode ter normalmente num netbook, você seria obrigado a manter tudo nas nuvens. Ou ser extremamente metódico com o que vai no seu companheiro de viagem

EX: O Kid, do Hdb [perceberam que eu estou com uma extrema preguiça de usar links hoje?], comprou um Acer Aspire One só para instalar joguinhos [ô inveja]. Se eu tivesse um desses, usaria apenas para postar nesse blog e ficar conectado por mais tempo enquanto o inspiron ficava com o que realmente importa, o trabalho pesado de criação de sites e gerenciamente de projetos. E se eu conseguir comprar um desses pra namorada, ela vai ter algo que vai lhe permitir acesso ao deus são google e tirar suas dúvidas na interweb [facilidade que nem eu tive na UNIP, e olha que nossas máquinas tinham internet...]. Fora as rádios online, que permitem que você monte sua programação. E os newsground da vida, com seus trocentos jogos alocados. Etc, etc, etc, hoje em dia um HD monstro não é tão necessário para os usuários comuns.


Bem, acho que é isso. Pesando na balança, a cloud computing no brasil é, ao meu ver, inviável POR HORA, devido a um pequeno, minúsculo e sempre negado fator: traffic shapping. Todas, eu digo TODAS, as operadoras o fazem. Finjem que não, mas fazem - eu mesmo fazia, quando trampava num servidor - e nunca irão admitir isso. A banda larga no Brasil está finalmente mudando, temos a tecnologia 3g que nos dá acesso em todos lugares que vamos, o problema mesmo são as limitações ridículas. Se você está disposto a arcar com os custos extras, bem, fique a vontade para pegar uma dessas, mas para grande parte da população, até o segundo semestre desse ano, vai ser inviável.

Nenhum comentário:

ACESSO RÁPIDO

STAY IN TOUCH

COPYRIGHT Guilherme Batista

Todos direitos reservados