Publicidade

Acesso rápido

Review: Monitor Dell P2214H

Postado por Guilherme Batista, em 26/02/2015

Então, recentemente eu passei a trabalhar de 1 tela para 2 telas. Ótimo, bom, tenho mais área no computador, uma maravilha, maaaaas...
... Trabalho com programação E design.

Duas telas para produção é algo excelente. Em uma tela, o Photoshop com o PSD aberto; em outra tela, o Sublime Text, ou qualquer outro editor, editando o código. Dá um excelente boost na produtividade. Mas e quando eu preciso de uma área maior de visualização? Atualmente, na minha área, as resoluções mínimas de desktop passaram a ser 1366x768. Isso quer dizer que, em um mundo ideal, os trabalhos devem ser produzidos em uma tela, no mínimo, duas vezes maior que isso.

Então decidi que meu notebook sozinho não era mais suficiente. Eu precisava de mais, porém, sem deixar de lado a mobilidade que tenho com ele.

Eis os requisitos para eu comprar um monitor novo:
- Nada de painel de TN ou VA. Sobram os IPS da vida (o mesmo dos celulares), de preferência, com anti-brilho razoável.

  • TEM QUE TER ÂNGULO de visão bom
  • No mínimo 60% do Adobe RGB
  • Tela FullHD no mínimo.
  • Custar menos de 700 dinheiros nacionais.
  • Ter um monte de opção de ajuste, a ergonomia é importantíssima aqui.
  • Tela menor que 23'' (pq não caberia naquela mesinha ali do meu home office)
  • Não fazia questão de HDMI, mas DVI era essencial.


Isso posto, parti para as escolhas dos monitores. Procurei monitores LG, Samsung, Philips, Sony, Asus... Mas todos tinham a) uma tela enorme, completamente desnecessária para o meu trabalho ou b) Não tinham muitos ajustes ou c) eram caros demais ou d) tudo isso junto e misturado e ainda a tela não chegava nem a 55% do Adobe RGB.

Já estava quase desistindo e partindo para escolher um monitor comunzinho mesmo quando me deu um estalo: Usamos monitores Dell no trabalho. Embora seus computadores tenham se tornado... obsoletos e caros para mim (o notebook que dei para minha irmã, por exemplo, custou o mesmo preço do meu; a memória dele é single-channel, não tem placa de vídeo dedicada e sem SSD), eu sabia que seus monitores eram bons. Não custava sonhar com a linha UltraSharp, não é mesmo?
Mas, hm.... R$900 reais, na época, em um monitor? Eu não trabalho desenhando embalagem, no máximo, um convite para festa de aniversário.

Então deparei com essa linha nova dos monitores profissionais. IPS! Tela de FullHD! 87% do Adobe RGB (depois de calibrado, obviamente)! Ergonômico! Tamanhos de 21 a 24 polegadas! Sem HDMI (acho overrated por causa dos televisores de 2009)! Ângulos de visão generosos! E o que me viciou: portas USB atrás, chupinhado diretamente dos iMacs da Apple. Well, posso viver com isso :).

O modelo escolhido foi o Dell P2214H 



O monitor em si
Escrevi 8 parágrafos antes de falar do monitor. Que lindo. Guilherme, teu sobrenome é prolixidade.
Eis as especificações do dito cujo, tiradas diretamente do meu dia-a-dia


  • Base ergonômica com pivô de 90º, ajuste de altura, horizontal e de ângulo de visão (172º ~ 179º)
  • Painel IPS com anti-reflexo rígido de 3H. Dá pra jogar com o sol da manhã incidindo num quarto claro que não vai atrapalhar minha visão
  • 4 portas USB de downstream e 1 de upstream. As downstream são as que usamos para ligar coisas no monitor; a upstream é a que liga as USBs do monitor em uma USB do computador. A desvantagem: são USBs 2.0...
  • Conexões VGA (sério, em pelo 2015 ainda tem isso?), a única conexão não-digital; DisplayPort, que até hoje só vi os Macs terem de fábrica isso, e a DVI-B.
  • Trava Kensington (!) anti-roubo. O que é extremamente engraçado: estamos falando de um monitor de 21,5 polegadas, uso destinado a empresas e profissional, pesando 3,26 kg + a base, medindo 13,94" ~19,04" (354,2 mm ~ 483,6 mm ) x 20,19" (512,7 mm) x 7,09" (180,0 mm). Não dá para simplesmente enfiar na bolsa e sair levando para casa sem levantar maiores suspeitas. Mas vai saber, hoje em dia tem retardado para tudo.
  • Suporte ao kit VESA, como se alguém fosse pregar esse monitor numa parede, ou num suporte de parede. Se bem que, dependendo do suporte... :)
  • Baixo consumo de energia para um monitor desse porte
  • Geralmente eu não falo do design dos gadgets, pq isso é um item muito subjetivo, mas dessa vez... Um design bem construído, sólido, com plástico duro (o que eu não gosto), botões bem definidos e sem aquele bendito led dos UltraSharp, que acendem só de você respirar - o que é extremamente irritante, dado que você se mexe na mesa e eles acendem. Achei bonito, no geral, e o design combinou com o notebook.


Algumas fotos dele instalado rodando meus programas mais usados:





Aquela fartura de conexões


Olha, ele vira 90º e vira uma baita tela vertical :D



O ângulo de visão generoso. Ignore a macha de sol, a tela estava virada diretamente para ele. A Ariane consegue ver o que acontece nessa tela do nosso quarto. ou seja, nada de pornografia


A bagunça de fios atrás dele (para o meu desespero. Sério, dá agonia olhar esse emaranhado de fios quando tenho que mexer atrás da mesa =[ )



Vantagens
- HUB USB integrada ao monitor = menos fios passando de um lado para outro na sua mesa, vão todos para o monitor
- Painel IPS com excelente ângulos de visão, ergonomia, contraste e aproximação das cores impressas. Só falta fazer café
- Tudo isso que falei ali em cima
- Custo com frete: R$679
- DPI alto para seu padrão. 173, senão me engano. Não é um Retina Display, mas pelo menos eu não vejo os pixels das coisas na distância em que estou dele.
- Tem tanta área de monitor, que eu acho que algum integrante do MST vai invadir o monitor, tomando posse e declarando aquele pedaço como área improdutiva.

Desvantagens
Nem tudo é perfeito, né? A maior delas é a ausência de USBs 3.0. Nem é tão cara assim, mas pelo que entendi, até mesmo alguns monitores mais caros, da linha UltraSharp, não tem essas portas. Uma pena.

O material de construção é o plástico duro. Apesar de ser agradável ao toque, não é dos melhores materiais - tem uma partezinha, do lado esquerdo, na mesma altura dos botões, que se apertar ela estala. Parece ser mal encaixada, mas é do material mesmo.
O espectro de cores podia ser maior (atingir, sei lá, 93% do Adobe RGB), mas dada a proposta da linha, está até bom.

Voltando as conexões, não gostei da conexão VGA - que é analógica - e da falta do HDMI. Não que eu use, mas a impressão que tenho é que, no caso da HDMI, foge um pouco da proposta do monitor, dado a fartura de conexões digitais; e no caso da VGA, além de fugir completamente da proposta -tente passar uma conexão FullHD nessa porta, e você vai ter um agradável Flicker, além de uma excelente dor de cabeça - ela ainda soa como "temos esses milhões de conectores VGA aqui e precisamos despachar eles, para não termos prejuízo. Coloca eles nos monitores profissionais".
Em um monitor de baixo custo ( = R$500 ou menos) , eu até entendo, mas no caso desse aqui...

Outro ponto negativo é a falta de conexões de cartão de memória e/ou de som. Até mesmo linhas mais baratas da Dell tem esses pontos, mas com preços bem próximos ao desse monitor.


Considerações finais
Pelo que pesquisei, essa linha, p-xx14H, foi renovada em 2014, adicionando as portas USB e a base ergonomica. Considero esta linha, e em especial, este monitor, como a escolha do ano para monitores com excelente custo x benefício,

PS: Velho, você simplesmente não acha review de monitor nenhum no Brasil, g-zuis.

Nenhum comentário:

ACESSO RÁPIDO

STAY IN TOUCH

COPYRIGHT Guilherme Batista

Todos direitos reservados