Acesso rápido

15/02/2010

O porque eu odeio o carnaval - ou as pessoas que festejam ele

Dizem que no Brasil é sempre carnaval. É sempre um obaoba, sempre festa, sempre alegria, blablabla etc, vocês conhecem o discurso. É festa o ano inteiro, a liberação generalizada. Eu discordo veemente.

Carnaval, para mim, é apenas desculpinha para liberar seus demônios internos, sua putaria interna e tudo aquilo que você guarda na sua personalidade o ano inteiro, e simplesmente não é punido por isso. Exemplos? Fácil pensar em alguns:

Quer encher a cara até cair? Vai lá amigão, no carnaval é liberado. Faça isso no resto do ano e você vira um bêbado desgraçado.

Quer botar roupas ridículas? Vai em frente, o carnaval de libera. Fazer isso no resto do ano é garantia de que você vai receber a classificacão de clubber, pra dizer o mínimo.

Quer andar usando (pouquíssimas) roupas? Oooopa, só se for agora e isso muito me interessa! No resto do ano, se você é homem, é taxado de pederasta. Se é mulher, vai ser hostilizada. Álias, se você for mulher, no carnaval pode até chupar um cara em plena avenida, com a Globo te filmando, que nego te aplaude em pé e pede bis. Se for fora de época, vai virar a boqueteira da paróquia - ou do Brasil inteiro, se você for uma BBB. Diga-se, você pode perfeitamente andar com essas roupitchas mínimas que nenhuma femi-nazi chia. Experimenta colocar uma foto sexy, ou qq diabo que o valha, no twitter, por um dia. Tu vira a mulher-objeto.

É impressionante. Nego usa desculpa para simplesmente mostrar quem realmente é durante 4 dias do  ano. E, nesse sentido, até meu pai é melhor que vocês. Ele não passa de um bebum tarado metido a sabichão, mas pelo menos não esconde isso de ninguém o ano inteiro... ponto para os bons de copo e fígado resistênte.

Por que simplesmente não saem sendo quem vocês são o ano inteiro? Eu não escondo quem eu sou, nunca. Por exemplo, podem me chamar pra festas o ano inteiro, na maioria eu não vou. Chamam pra ir em festejos na praia e simplesmente recuso, pelas mesmas razões.

Se todo mundo fosse real o ano inteiro, teríamos menos problemas. Pra não contar os 4 dias que ninguém trabalha.

Vão todos se foder, obrigado.





Guilherme está com uma vodka original. Daquelas sem gosto de nada mesmo. Essa é boa!

Um comentário:

Luiz Sutileza disse...

Eu também não vou a festas e muito menos a festejos na praia. Tenho uma preguiça desgraçada de ser simpático e não tenho o menor interesse pelo que os outros andam fazendo da vida.