Publicidade

Acesso rápido

Por que voltei ao iOs

Postado por Guilherme Batista, em 20/10/2014

Quem me conhece sabe que defendo com unhas e dentes algo. Também sabe que, se eu perco o interesse por alguma coisa, é muito difícil de voltar a me interessar - em geral, perco o interesse quando as desvantagens superam, e em muito, as vantagens.

Como, por exemplo, minha relação amor x ódio ao iOs e ao Android.

Antigamente eu gostava do iOs. Amava esse sistema, pela estabilidade, apps exclusivos, beleza do sistema e por aí vai. Nem curtia tanto pelo jailbreak, apesar de isso ser mandatório na época - pobre que não tinha cartão de crédito para comprar joguinhos. Sabe aquelas promoções de apps grátis? Me esbaldava em todas e era um verdadeiro rato dessas promoções. Mas, como tudo que é bom dura pouco, chegou num ponto em que o iOs simplesmente... cansou.
A mesma cara do sistema. Praticamente nenhuma novidade relevante no sistema, desde o primeiro iPhone até o iPhone 4S, que não fosse mera perfumaria. Então cansei.

Daí resolvi experimentar o Android.

Pior.decisão.da.minha.vida.no-que-se-refere-a.mobile.

Durante um tempo, foi bom, admito. Colocar a skin que eu quiser? Facilidade para hackear o sistema? Transferir foto por Bluetooth? Usar cartão SD? Uhul \o/


Mas, novamente, tudo que é bom dura pouco. Dessa vez, durou bem menos que a lua de mel com o iOs.
Nem vou falar no caso das skins pesadas dos fabricantes - usei o Motorola Milestone 2 e o Galaxy Note 2. O que pega aqui são algumas atitudes irritantes:
-O sistema de notificações é horrível. Apesar de ter uma central de notificação, sempre que chegava alguma notificação, por exemplo, eu tinha que ir até essa central. Não havia, sei lá, uma mãozinha indicando quais apps haviam mensagens para mim. Fora que não ficava uma notificação na lockscreen :/

- Ainda nas notificações, um dos problemas mais chatos era que não havia forma de proibir uma notificação. Mesmo que o app permitisse. O foursquare, por exemplo, eu deixei de usar por um bom tempo por causa disso - eu desabilitava a notificação no app, e elas continuavam vindo. Tive que fuçar até o fundo do aparelho para conseguir desligar isso, mas olha: se fosse para mexer nas entranhas do sistema, eu continuava no iOs que era melhor, pelo o jailbreak era centralizado.

- Bugs, bugs e mais bugs. Nem me incomodava com o fato de apps travarem, por exemplo - a menos que fosse algo recorrente, por que aí sabia que era a app, e não o sistema. Mas os bugs eram muitos. Dois exemplos:
1) O Milestone 2, por exemplo, tinha um bug bizarro cujo horário era diferente na lockscreen, na topbar e no app nativo de previsão do tempo. Fosse questão de minutos eu nem me importava, mas eram algumas horas mesmo
2)Já o Galaxy Note 2, volta e meia dava algum bug bizarro que o celular inteiro travava. Não era apenas na execução de um app; era constantemente, às vezes eu havia acabado de reiniciar o celular, esperado alguns minutos e tentado desbloquear a tela.

- O player de música era uma experiência sofrível. A maioria dos outros apps então, nem se fala. Dava desgosto ver a falta de cuidado com a qual a maioria dos apps são construídos.

- A insegurança em relação as atualizações do sistema me davam medo :(

- E o problema mais grave de todos: do nada, a Samsung começou a me mandar publicidade. Sugestão de app, recomendações, sei la. Chame do que quiser, mas para mim, é publicidade. O problema é: eu paguei por essa joça. Publicidade você coloca em produtos "gratuitos" ( tipo, navegar no R7, por exemplo), para ganhar dinheiro em cima - e não em um produto pago. Não foi um app. Foi.o.sistema.operacional.
O princípio aqui é: se tem publicidade envolvida no meio, você deixou de ser consumidor e passou a ser um mero produto daquele sistema. Eu aceito ser um produto do Facebook, do UOL, do Gmail, por que são serviços gratuitos, e eles precisam ganhar dinheiro com algo.
Mas não aceito publicidade em um celular, vindo diretamente da fabricante. Nem de um paywall como o da Folha e o do Estadão, por que, mesmo assinando esses serviços ("pagando" para usar os mesmos), eles continuam exibindo publicidade para mim. Simples.

Enquanto isso, o iOs evolui. Deixou de perder para a concorrência, e passou a acompanhar ela, mas em uma situação melhor - como sempre aconteceu com a Apple. Quando saiu o iOs 7, eu cogitei seriamente voltar para o sistema, mas relatos de problemas com o iPhone 5 (como o descascado do case) me impediam. Então, quando a Apple lançou os iPhones 5C e 5S, eu fiquei seriamente tentado.
Daí, esses dias, achei o BrUsed e comprei meu iPhone por lá :).

As vantagens do iOs em relação ao Android:
-Mais apps exclusivos
- A qualidade dos apps é notável. A estabilidade idem
- NOTIFICAÇÕES NA LOCKSCREEN! PLAYER DE MÚSICA NA LOCKSCREEN! APPS AVISANDO QUE TEM NOTIFICAÇÃO!
- Falem o que quiser, nada supera o iPod em players de música.
- A câmera continua sendo melhor que a maioria dos concorrentes;
- É compatível com minhas USBs 3.0 :)
- Apenas... funciona. É isso que queremos, certo?

E para ninguém falar que sou imparcial, as desvantagens do iOs:
- Não tem SD :(. Lotei os 16gb do aparelho em 20 minutos de uso.
- Até hoje a Apple não permite que possamos definir o programa padrão para algo. Particularmente não curto o Safari, e navego muito no Face; então, ao clicar em qualquer link do Facebook, automaticamente ele vai para o Safari :(
- A personalização é bem baixa. Melhorou muito em relação ao que era, mas continua pouca.
- Sair de uma tela de 5,5'' para uma de 4,5 ainda me dá um pouco de claustrofobia.
- Fale bem o que quiser do Retina Display, ele nunca vai superar uma tela Super AMOLED. Os pretos parecem que ficaram cinza (ou o Feedly deixou a cor cinza no iOs...)

Tirando esses problemas (que não são tão graves assim), ao meu ver, o iOs continua sendo melhor que o Android. Talvez seja pau a pau com um Android Stocked, ou pouco alterado, como os do Moto G e os Nexus; mas ainda assim, é bem melhor.

(Btw, agora jogo infinity blade de novo :D )

Nenhum comentário:

ACESSO RÁPIDO

STAY IN TOUCH

COPYRIGHT Guilherme Batista

Todos direitos reservados